Tô Pensando em Contos... VIRANDO LATAS




VIRANDO LATAS




     Chamam-me de vira-lata, mas na verdade esse é meu sobrenome. Sou Felipe, o gato mais lindo do bairro. Tenho os olhos azuis da cor do céu sem nuvens e os pelos mais dourados e macios já vistos. Aceito meu sobrenome porque sempre acabo virando as latas de lixo quando vou roubar um lanchinho.

     Estes humanos não imaginam quantas delícias eu consigo encontrar nos seus lixos. Se soubessem poderiam deixar num pratinho ao lado do cesto, aí eu não iria virar e derrubar tudo fazendo um estardalhaço toda madrugada.

     Todos ficam muito irritados. Tem até um senhor bigodudo que fica tão nervoso que sai de casa parecendo um assassino.

     Aquele humano é tão esquisito! O bigode dele é tão estranho que parece que ele engoliu um passarinho e a cauda ficou pra fora. Como se fossem penas sacolejando. Minha vontade era chegar mais perto e conferir se não tem mesmo um passarinho preso ali.

     "Eu adoraria comer um passarinho essa madrugada".

     Uma noite dessas, ele ficou tão nervoso; ficou lá berrando e chacoalhando aquele bigodão, pensei que me mataria. Acho que teria feito isso se tivesse conseguido me pegar, mas além de lindo, também sou esperto. Fugi antes que ele me alcançasse.

     Já me acostumei com ele e com seus gritos, acho que se um dia ele não aparecer, ficarei triste.

     Da última vez que fui até a lata do bigodão, senti um aroma delicioso de peixe fresco. Abocanhei aquela gostosura. Nem vi quando surgiu o humano com dentões no meio daquelas penas brancas.

     "Ah, não" É o bigodão! Agora ele me pegou! Esse assassino".

     Pegou meu pescoço, me colocou dentro de uma caixa e fechou as grades. Eu estava preso numa cadeia minúscula.

     O covardão me levou pra casa, me colocou num canto e nem com meu chorinho de lamentação ele me libertou.

     Comecei a chorar mais alto. Ele me mandou parar de miar, mas eu não conseguia. Estava com medo, fome, vontade de fazer xixi e queria voltar para as minhas latas.

     Até que o bigodudo veio e olhou pra mim. Primeiro com um olhar bem raivoso, mas depois começou a mudar. Foi ficando sério, até que abriu um leve sorrisinho.

     Parece que o psicopata tinha coração! Fiquei impressionado, mas ainda não estava convencido dessa rápida mudança de humor.

     Aí ele abriu a grade e me tirou da prisão, me pegou no colo e me levou para o paraíso, que ele chamou de cozinha. Encheu um pires com leite gelado e eu bebi tudinho. Nesse momento eu comecei a acreditar que ele estava se rendendo á minha beleza.

     Depois ele me pegou no colo de novo, me deitou no sofá e começou a alisar meu pelo. Ficou lá me olhando e disse que me achava bonito.

     Ele não resistiu à minha beleza estonteante, afinal, eu sou Felipe Vira-Latas, o gato mais lindo do bairro, é impossível mesmo resistir.

     Desde então estou aqui com Bigodão. Faço companhia pra ele e ele me enche de delícias. A troca é boa. Não preciso mais virar as latas por aí, mas quando fico com saudade dessas aventuras, eu viro a que ele tem no seu paraíso, ou melhor, na cozinha. Só pra não perder o costume, e para fazer valer meu sobrenome.










Alessandra Tapias


























Deixe seu comentário e concorra:

8 comentários:

  1. Adorei o texto.
    Um gato feliz é um gato amado e adotado. Mesmo quando ele vira a lata de lixo da cozinha, merece nosso carinho.
    Maravilhoso texto.

    Desbravador de Mundos - Participe do top comentarista de reinauguração. Serão quatro vencedores!

    ResponderExcluir
  2. adoro temas de animais e adoção, acho tudo de bom e ações assim deveriam acontecer mais pois só os bichos de rua é que sabem o quão dura é a vida das ruas
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. AAAAAAH Que emocionante. To chorosa aqui, adoro gatinhos e sou apaixonada por histórias/contos que falam sobre isso! Já leu Um Gato de Rua Chamado Bob? Uma graça!
    Beijinhos <333
    Livros, Amor e Mais

    ResponderExcluir
  4. Oi, Lelê!

    Como amo gatos (e coincidentemente, o meu tem olhos bem azuis e é branquinho com algumas partes amarelas - como o da foto, rs), fiquei encantada com seu texto. Gostaria que todos fossem como o senhor de bigodes!

    Beijocas.
    http://artesaliteraria.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  5. Hahaha...eu ia preferir o Sr Bigodão degolando o pobre gato que se acha!rsrsrs Acho que seria mais a sua cara!
    Mas mesmo assim, adorei o conto! Até porque contos não precisam ser macabros e tristes né?rs Ainda estou traumatizada com o do bebê.
    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Oi Lele!!

    AMEI o conto, primeiro porque amo gatos, animais em geral né, mas tenho um amor especial por gatinhos, porque a minha já tem 8 anos com a gente. É o xodó da casa e se acha a poderosa hahaha, por isso queria outro mas em apê não rola T.T
    Amei os personagens, e até fiquei com medinho do Sr Bigodão matar o pobre Felipe, me deu até emoção quando ele ficou com o gatinho! Você precisa escrever mais, adoro seus contos!!

    Beijos, continue escrevendo \o\

    http://livrosontemhojeesempre.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. kkkkk amei o conto, muito legal... achei que o Sr. BIGODÃO era sem coração mas vi que não (até rimou kkk). EU tenho um Felipe Vira-Latas desse, mas o meu se chama Eros e se comporta como no paraíso do Bigodão, só vira a lata da minha cozinha. kkkkkk. Perfeito! Amei 💖

    ResponderExcluir
  8. kkkkk amei o conto, muito legal... achei que o Sr. BIGODÃO era sem coração mas vi que não (até rimou kkk). EU tenho um Felipe Vira-Latas desse, mas o meu se chama Eros e se comporta como no paraíso do Bigodão, só vira a lata da minha cozinha. kkkkkk. Perfeito! Amei 💖

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...