Resenha: Vango - Entre o Céu e a Terra

    

Título: Vango - Entre o Céu e a Terra 

Autor: Timothée de Fombelle

Páginas: 359

Editora: Melhoramentos
















     Não pense você que por ser um livro infanto juvenil, "Vango - Entre o Céu e a Terra" é um livro fácil. De jeito nenhum. São muitos personagens, a narrativa não é linear, mas uma coisa eu te digo: É bom demais!!!!


"Vango compreendeu tudo. A mancha era uma mancha de sangue. Haviam deixado o quarto no estado em que fora encontrado. O homem deitado na cama estava morto."
Pag. 34







     O livro começa com o Vango, que aos dezenove anos está prestes a ser ordenado padre. Mas justamente neste dia que deveria ser regado a bençãos, paz e calmaria, é que a confusão toda tem inicio.

     Vango percebe que a polícia está atrás dele, tiros são dados, mas não pelos policiais. Os policiais querem Vango preso, mas vivo. Porém, um atirador o quer morto. Ou seja, se ficar o bicho pega, se correr o bicho come. E o que Vango faz? Foge!

     Acontece que neste dia fatídico, o padre é encontrado morto e a única 'pista' é um bilhete escrito pelo padre um pouco antes de morrer. O bilhete dia: FUGERE VANGO. Que quer dizer: Fugir Vango.

     O que a princípio parece uma acusação, na verdade é um recado para Vango. Com um resto de vida que o Padre Jean tinha ele só conseguiu deixar um recado debilmente escrito, um pedido para que Vango fugisse, mas a polícia entende que o padre deixou mesmo um recado de quem o tinha assassinado.


" - Ah, Vango, é uma guerra! Leve isto para a cozinha. Os coelhos do padre atacaram as alfaces durante a noite. É uma guerra, Vango. Eles escavaram túneis! Minhas galinhas não fariam isso. Zéfiro devia jogar os coelhos no mar..."
Pag. 198



 




     Aí quando você acha que vai ficar simples, o negócio fica louco!!

     Logo depois vamos voltar no tempo. Vamos para a infância de Vango, mais precisamente em 1918, quando ele tinha apenas três anos. Vamos para o dia exato em que ele, ainda pequenininho, e Mademoiselle chegam à ilha que ficarão por muito tempo.


"Aos 5 anos, compreendia cinco línguas, mas não falava com ninguém. Aos 7 subia as falésias sem precisar dos pés. Aos 9, alimentava os falcões que mergulhavam em cima dele para comer em sua mão."
Pag. 43


     Aos quatorze anos ele vai para no Mosteiro Invisível e lá é que muitas coisas vão começar a acontecer.

     Quando Vango decide por fim se tornar padre, sua vida começa a mudar. O Padre Zéfiro não aceita isso de prontidão, ele acha que Vango não está preparado, não sabe o que está dizendo, não entende... Não sei exatamente o que o Padre Zéfiro acha ou pensa que acha do assunto. Ou até mesmo o que ele realmente sabe sobre Vango, pois ele prontamente diz para ele sair da ilha, ir conhecer outras pessoas, viver outras histórias antes de se tornar padre.

     E é isso que Vango faz. E ao meu ver, é aí que ele desenvolve uma Paranoia. Desde os quatorze anos que Vango tem certeza que alguém o está perseguindo. Se isso é real ou não, não dá pra saber. E por algum tempo isso será constante, mas só aos dezenove é que essa perseguição se torna bem real.

     São tantas aventuras!!!!!

     Quando ele sai do Mosteiro Invisível, ele conhece Eckener, que foi piloto do Graf Zeppelin, o primeiro dirigível a dar a volta ao mundo.

     Além deste personagem ainda vamos passar por Adolf Hitler, Joseph Stalin, Rudolf Diels, e tantos outros personagens reais que tiveram uma participação fictícia maravilhosa e fizeram parte da vida - ou da fuga - de Vango e por que não de nós também.

   
"Apesar de todos os seus esforços , Vango se sentia num ciclone. Os mistérios de seu passado o atormentavam da manhã à noite e da noite até a manhã. De onde vinha? Quem estava atrás dele?"
Pag. 197







     Mais uma coisinha que eu preciso falar sobre Vango que te deixará muito interessado em conhecer sua história:

     Tanto Vango, quanto sua Mademoiselle falam fluentemente cinco línguas, ele é extremamente inteligente e escala um prédio como ninguém, anda por telhados e dá saltos fenomenais. Ele não tem ideia de quem são seus pais e aparentemente sua babá também não sabe. Aliás, ninguém sabe nada da vida passada de Vango. Mas com o tempo vamos descobrir que não é bem assim.

     A narrativa, como eu disse no início da resenha, não é linear e cada capítulo a narrativa é pelo ponto de vista de um personagem diferente e todos em terceira pessoa. Ou seja, vamos conhecer Vango também pelos olhos de quem o conheceu, e isso pode ocorrer em anos diferentes. O que deixa a narrativa um tanto confusa, mas incrivelmente maravilhosa. E o leitor fica cada vez mais curioso ao mesmo tempo que fica cheio de adrenalina com as fugas. Curioso pra descobrir o que aconteceu e quem é Vango; e a adrenalina fica por conta das escaladas, fugas e aventuras do protagonista.

     E a parte que deixa qualquer um encantado, fica totalmente por conta da história da Europa entre os anos de 1914, que é o início da Primeira Guerra Mundial, até 1935, que é onde praticamente é terminado o livro. Mas o autor deixou muitas pontas soltas, que claro levarão o leitor a querer logo o segundo volume da trilogia.

     Ah! O segundo volume já tem título e capa!!!

     O título é: "Vango - Um Príncipe Sem Reino" e a capa eu mostrarei em breve, rsrs. Assim como a sinopse.

     Estou aprendendo a deixar vocês curiosos também!! Acho justo. Em breve contarei mais aqui no blog mesmo.

   
"Eckener estava se arriscando. Sabia disso. O "alguém" em questão tinha um bigodinho que parecia um selo postal e se chamava Adolf Hitler."
Pag. 79






     Outra coisa maravilhosa é o extra deste livro. Um apêndice que conta A História Dentro da História.

     Fala sobre os personagens reais que fizeram parte desta ficção, contém fotos do Graf Zepelin, e até a foto quando atravessou os céus do Brasil (me emocionei nesta parte).

     Quanto a diagramação da Melhoramentos... Gente, já coloquei a editora na minha lista de favoritas.

     O trabalho gráfico é um primor!!! Lindo!! Fiquei sem fala quando vi o livro. As páginas são amareladas e mais grossas, a fonte é grande e no tom bordô. Tem fotos e ilustrações, é tudo incrível!!

     E a capa é linda também. Não sei nem o que mais elogiar!!


"De repente, no céu de Notre-Dame, surgiu um monstro imenso que praticamente fez a multidão se esquecer de tudo. Tão longo e majestoso quanto a catedral, brilhante de chuva, apareceu o Graf Zeppelin.
Ele encheu o céu."
Pag. 16






   
"Distúrbio paranoico, delírio de perseguição. O padre Jean conhecia isso. Havia sido médico militar durante a Primeira Guerra Mundial."
Pag. 28


     Não sei mais o que eu possa dizer sobre este livro.

     Eu adorei!!! É melhor e mais lindo do que eu esperava, e com certeza do que eu consegui dizer aqui.

     Recomendo muito!!!




















11 comentários:

  1. Engraçado...eu já havia visto o livro por aí, pelo mundo literário, mas nunca parei de fato, para ler a sinopse ou nenhuma resenha.!
    Então, minha primeira vez é aqui....rs
    E amei tudo que li acima. Porque parece a típica história completa e ao mesmo tempo, incompleta..pelas peças que precisam ser encaixadas e isso é feito, lentamente a cada capítulo.
    Com certeza, Vango é um personagem atípico e isso aguça o imaginário!!!
    E já tem um segundo vindo??
    Sacanagem...rs
    Beijo

    ResponderExcluir
  2. Nossa tenho esse livro aqui porem ainda não tive tempo em ler, essa resenha me deixou ainda mais ansiosa e curiosa em conferi essa história, parece ser bem melhor do que eu imaginava.

    ResponderExcluir
  3. Olá, Lelê.
    Já li a obra e amei!
    Essa mistura de aventura, ficção e realidade ficou incrível. Além disso a Melhoramentos arrasou na diagramação, como você bem disse.
    Não tenho do que reclamar sobre o livro.

    Desbrava(dores) de livros - Participe do nosso top comentarista de agosto. Serão dois vencedores.

    ResponderExcluir
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  5. li muitas resenhas positivas, o livro parece ter agradado geral
    felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Le!
    Já tive oportunidade de ler Vango e simplesmente adorei, porque amo os fatos históricos e o Zeppelin e adorei o autor tê-los incluído na ficção do protagonista.
    Agora aguardo o segundo.
    Uma semaninha mais que abençoada!
    “Esquecer é uma necessidade. A vida é uma lousa, em que o destino, para escrever um novo caso, precisa de apagar o caso escrito.”(Machado de Assis)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    Participem do nosso Top Comentarista!

    ResponderExcluir
  7. Eu não li Vango, mas só vejo resenhas super positivas em relação ao livro que já estou com vontade de ler. A história parece bem movimentada e não me importo por ser infanto juvenil.
    Abraços,

    Gisela
    @lerparadivertir
    Ler para Divertir

    ResponderExcluir
  8. Ainda não li o livro mas já vi inúmeros blogueiros e também booktubers falando positivamente desse livro, e por isso me interesso bastante pelo livro!!!

    ResponderExcluir
  9. Indico principalmente a quem gosta de aventura, seja adolescente ou adulto. O próximo livro é o último da duologia, então a história de Vango já fechará no segundo volume. Quero muito saber dos segredos que ainda não foram contados e o que acontecerá com os personagens.

    ResponderExcluir
  10. Indico principalmente a quem gosta de aventura, seja adolescente ou adulto. O próximo livro é o último da duologia, então a história de Vango já fechará no segundo volume. Quero muito saber dos segredos que ainda não foram contados e o que acontecerá com os personagens.

    ResponderExcluir
  11. Depois de ler a resenha, fiquei curiosa para ler ele inteiro

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...