Divulgação: Geração Editorial

Oi gente!!!

Vocês sabem que muitos livros da Geração Editorial foram feitos para chocar. Para colocar vários dedos em muitas feridas... E convenhamos, isso é ótimo! Moramos em um país democrático, onde temos toda a liberdade de falar o que quiser, de ser quem quiser, de fazer o que quiser... Será??

Confira o lançamento:





  



OVELHA



Sinopse:Este livro, estreia impressionante de um jovem e talentoso escritor, é o relato pecaminoso de um decadente. A história de um homem religioso e carismático, temente a Deus, mas amante insaciável de sua própria carne exótica, a carne de outros homens.
Um pastor gay, casado com uma ex-prostituta, filho de uma fanática religiosa. Neurótico e depravado. E agora condenado. Internado no hospital, debilitado e com um segredo de uma tonelada nas costas, este personagem atormentado decide libertar-se de seus demônios e relatar seu drama.
Num relato cru e sem censura, ele literalmente vomita seus trinta anos de calvário e charlatanice na cara da congregação (e de qualquer um que se interesse por um bom inferno). Sexo, paranoia, corrupção e destruição são os ingredientes tóxicos dessa obra provocante, polêmica e inovadora.





CHOQUE ENTRE RELIGIÃO E HOMOSSEXUALIDADE RESULTA EM MEMÓRIAS CONTUNDENTES


O noticiário e as páginas da internet sobre a questão da homossexualidade vista do ponto de vista dos evangélicos, que invocam a Bíblia e a condenam com veemência, têm registrado diariamente protestos contra o atraso religioso e reações furiosas dos crentes. O debate parece não ter fim, colocando o país sob a perspectiva de um atraso histórico, visto que a homossexualidade vem sendo reconhecida em muitos países mais adiantados e neles o casamento gay é uma realidade consumada. Uma onda forte de pastores retrógrados, aproveitando-se do preconceito popular contra os homossexuais, às vezes por mero oportunismo comercial de utilização das massas, ergueu uma reação contrária também consistente, com os movimentos gays saindo pelas ruas para protestar (razão do célebre Cristo transexual, tão criticado, na última parada gay paulistana). O clima polêmico é cada vez mais acalorado, alguns falam dos pastores como criadores de uma nova Inquisição e “caça às bruxas” e muitos são os evangélicos que têm lugar como deputados no Congresso, aumentando o temor de que o obscurantismo medieval das ideias religiosas passe a reinar no Brasil, que possui reconhecidamente um Estado laico.
        Dentro deste contexto, o livro de um jovem escritor e blogueiro de apenas 20 anos, Gustavo Magnani, lançado agora pela Geração Editorial, vem colocar mais lenha na fogueira. Para acabar com os exageros de preconceito e obscurantismo de Felicianos e Malafaias, o livro reúne, num só personagem, os dois extremos contraditórios dessa verdadeira fogueira ideológica: um pastor que, na verdade, é homossexual, homossexual daqueles que, por terem tido uma educação atrasada e errônea, com uma mãe paranoica e odiada (lembrando a mãe de “Carrie, a Estranha”), vive reprimido e sofrido e, depois de sofrer um grave acidente, num leito de hospital, resolve fazer um inventário de sua vida dividida entre os desejos homossexuais violentos, que o obrigam à abjeção, e os ideais religiosos incompatíveis com os anseios da carne.
             Não é um personagem deslocado da realidade atual, visto que frequentemente viu-se nos jornais, nas páginas da internet, facebook e o mais, surgirem pastores que se confessaram ex-gays, uma declaração que provocou inúmeras zombarias, visto que cientificamente sabe-se que não há “conversão” em se tratando de desejos sexuais, que há apenas repressão destes, e repressão, como vemos no caso de OVELHA, nada eficaz. Os pastores ex-gays com suas declarações de conversão, na verdade, apenas colaboraram para que os ataques à homossexualidade, promovidos pelos evangélicos, degenerassem em piadas populares de infinito mau-gosto, como era de se esperar, e levantaram sérias dúvidas sobre a eficácia das religiões em se tratando de desejos. Invocar Sodoma e Gomorra e os castigos do Céu para esse caso nunca teve a menor eficiência na realidade, apenas agravou os conflitos interiores dos homossexuais, e ainda mais quando se tratavam de homens conduzidos ao ministério religioso, sendo forçados a parecer outra coisa para o público fiel. Inevitável, nesse caso, que a religião se torne hipocrisia, e hipocrisia da mais primária.
           O livro de Magnani é um depoimento dramático e contundente sobre a questão e vem, com força, denunciar a camisa-de-força em que estão enfiados os homossexuais que querem se reprimir e manter uma aparência de santidade e pureza para exercer papéis religiosos. Nele, fica claro que os chamados “desvios sexuais” não são nada mais que compreensíveis e humanos e que exigir de um ser humano que ele se dispa de sua sexualidade para parecer santo só pode degenerar em má-fé, remorso e em desonestidade consigo mesmo e com seus semelhantes.
           É um homem arrependido, que viveu trinta anos num considerável calvário, uma ovelha do rebanho religioso, disposto a revelar tudo que o oprimiu a vida toda, aquele que dita estas memórias. Vale a pena ler o que ele tem a dizer.
           GUSTAVO MAGNANI, com apenas 20 anos, estreia neste livro já recebendo elogios de outros famosos (como Santiago Nazarian) e sendo considerado verdadeira revelação, pela dramaticidade e maestria de seu relato. Ele conduz o blog Literatortura, considerado um dos maiores do país, abordando assuntos literários e polêmicos sempre com contundência e tendo um grande número de leitores. O blog tem como símbolo o corvo de Edgar Allan Poe.


Sobre o autor:
GUSTAVO MAGNANI tem apenas 20 anos. Natural do Paraná, já é um escritor prolífico, conhecido por ser o idealizador do maior blog literário do país – o Literatortura.com. “Ovelha – Memórias de um pastor gay” é seu primeiro livro.










Comente, clique e participe

5 comentários:

  1. Menina..rs
    Chocar tudo bem, mas sei lá..Não ultrapassou os limites desse "Chocar",não??
    Caramba..parece que o autor pegou tudo que é fora dos padrões ditos normais e jogou somente em uma história.
    E com certeza, isso vai dar um rebuliço.
    Religião, homossexualidade,valores...tudo colocado a prova. Sem contar, os conflitos que isso tudo misturado, traz.
    Beijo

    ResponderExcluir
  2. Adoro a Geração porque ela o tipo de editora que chega sempre para peitar os paradigmas. haha
    Esse livro, por sua vez, parece ser mais do que uma quebra de paradigmas, parece ser uma chamada para pensar toda a sociedade. Com certeza lerei, Lelê.
    Amei a dica!

    Desbrava(dores) de livros - Participe do nosso top comentarista de agosto. Serão dois vencedores.

    ResponderExcluir
  3. Le!
    O assunto é tão polêmico que sua divulgação me pareceu mais uma resenha do livro...kkk
    O livro é uma bomba, mexendo em assunto tão restrito, principalmente ligado a religião que hoje m dia é tão questionável.
    Gosto dos livros polêmicos e fiquei muito interessada.
    Boa semaninha!!
    “A cada bela impressão que causamos, conquistamos um inimigo. Para ser popular é indispensável ser medíocre.”(Oscar Wilde)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    Participe no nosso Top Comentarista!

    ResponderExcluir
  4. oi flor, quem resiste a uma polêmica? eu quero muito conhecer!
    felicidadeemlivros.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  5. Eita, super polêmico esse livro hem, já fiquei mega interessada em ler, assuntos ligados a religião sempre rende muito pano pra manga.

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
© To Pensando em Ler - 2017 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Jaque Design | Tecnologia do Blogger.
imagem-logo