Divulgação: Cartas Para Você - Duda Razzera

Olá!!

Eu já conhecia o livro Cartas Para Você, já tinha visto algumas resenhas, mas não tinha lido ainda.
Essa semana a autora me procurou e me ofereceu seu livro.


Aí me lembrei que falei dele aqui pra vocês, mas não tão profundamente... Então, resolvi trazê-lo novamente, falar mais dele aqui e da autora também (que é uma fofa ♥).

Então vamos lá:




 

Sinopse:



A história retrata a vida de Georgia Castro, uma menina mulher em seus vinte e dois anos que acabou de perder o pai. Inconformada com a morte de seu pai - e também melhor amigo, Georgia entra em depressão. Sua psicóloga aconselha-a a escrever para o seu pai ou manter um diário pois Georgia gosta muito de escrever. A partir daí, Georgia começa a escrever cartas para a Aceitação, pedindo para que ela bate à sua porta. As cartas são uma espécie de diário e Georgia trata a Aceitação como sua confidente. Ela conta sobre a história de amor de seus pais, sobre a história de sua família, o falecimento de seu pai e as intrigas em família que decorreram do falecimento. 
Além da questão familiar e do processo de luto, Georgia também desabafa sobre sua vida amorosa, pois o cara de quem gostava não quis mais ficar com ela após a morte de seu pai. Com mais essa perda, ela começa a lembrar do péssimo ex-namorado que marcou muito a vida dela e da sucessão de casos amorosos mal sucedidos depois dele. Tentando seguir a vida, Georgia termina a faculdade de Economia e conta sobre a formatura, o primeiro emprego, suas saídas com os amigos e novos amores. 
Basicamente, Cartas para você conta o processo de superação da morte de seu pai, sobre amadurecer e confiar em si mesma para tomar as decisões e acima de tudo, voltar a viver mesmo sentindo saudade.





   Duda Razzera nasceu em Porto Alegre, Rio Grande do Sul, mas mora em Florianópolis desde os três anos de idade. Aos seis anos já tinha milhões de personagens e histórias em seus cadernos. Aos nove anos escreveu seu primeiro poema e foi nesse momento que seu coração soube “o que ela queria ser quando crescer”. Hoje, com 23 anos, tem uma empresa de climatização, a Razzera, escreve no blog e inventa novas histórias. Colorada. Slytherin. Nerd. Viciada em livros, filmes e séries de tv. Adora esmaltes, boas fotos e cantar no chuveiro. Economista por profissão e escritora por amor, escreveu “Cartas para você” como uma forma de curar o coração e realizar o sonho de ajudar outras pessoas através de sua escrita.













   Meu nome é Maria Eduarda Razzera, mas todo mundo me conhece como Duda. Tenho 23 anos, sou economista por profissão e escritora por amor.Quando aprendi a escrever, aos meus seis anos, já saí pelos meus cadernos afora criando personagens e histórias.

Aos meus nove anos, escrevi meu primeiro poema e meu pai fez eu ler na frente da família inteira. Meu avô sorriu orgulhoso e guardou dentro na gaveta do escritório dele. Acredito que foi nesse momento que meu coração soube “o que eu queria ser quando crescer”.

Ao longo desses meus (poucos) anos de vida tive muitos diários, muitos contos, muitos livros inacabados e muitas ideias na cabeça. Tive incontáveis blogs, escrevi fanfics (minhas tão queridas histórias sobre Harry Potter) e escrevi poesias sobre romances fracassados e corações partidos.

Quando meu pai faleceu, descobri na escrita uma maneira de me curar. Meu primeiro livro (Cartas pra você) nasceu dessa tentativa de curar meu coração. Percebi que na escrita encontrei um jeito de me expressar livremente, sem preconceitos ou amarras. E percebi também que através dela posso ajudar muitas pessoas além de mim.

Sempre me senti inquieta ao pensar em viver uma vida sem motivo. Então hoje, se me perguntarem por que eu escrevo, digo que dessa maneira me sinto menos sozinha. Sinto que faço parte de algo muito maior do que eu. O universo das palavras me leva aonde eu quiser e a melhor parte, com quem eu quiser.

Charles Bukowski começou seu poema “Então você quer ser escritor?” dizendo: “Se não irrompe de dentro de você apesar de tudo, não faça.”.
Dentro de mim tive sempre essa ânsia em escrever o que sinto, o que vejo as pessoas sentirem e o que eu gostaria de sentir. A emoção me motiva, os sentimentos me fascinam e o comportamento me intriga. Escrever irrompe de dentro de mim, por isso eu faço.




E aí? Gostaram??

Em breve teremos mais e mais da autora por aqui!!!

Aguardem ♥
























8 comentários:

  1. Ah que lindo!!!!
    Eu sou fã destas histórias reais, que sempre trazem a forma com que pessoas comuns atravessam problemas cotidianos!!!
    E a autora parece que soube traduzir bem as perdas, descobertas e um futuro nas páginas de um livro!!
    Aguardar mais sobre a história!!!
    Beijo

    ResponderExcluir
  2. Lêle,esse livro trata de um processo de restauração da vida da Georgia,a perda de seu querido e amigo pai,de seu namorado que a abandonou,e de tantas outras questões nessa trajetória onde ela ao escrever em um processo de desabafo,vai se reconstruindo seguindo a vida e descobrindo o caminho onde aprende a conviver sem sofrimento com toda a sua saudade,achei muito bonita a pequena autobiografia da autora e linda a forma que ela começou a escrever,sem contar que a cidade que ela nasceu Florianópolis é uma cidade que mora em meu coração.Mil beijos!!!!

    ResponderExcluir
  3. Oi Lelê!

    Não conhecia esse livro e a ideia é bem bacana. E, claro espero ler um dia

    Beijos
    http://www.amorliterariooriginal.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. o enredo central é bem bacana, é a primeira divulgação que vejo, mas sinto que posso gostar
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/2015/09/resenha-zac-e-mia-clube-do-livro.html

    ResponderExcluir
  5. Olá, Lelê.
    O livro não é tão meu estilo, mas conheço um pessoal que iria gostar. Vou indicar para eles.
    Parabéns para a autora e muito sucesso na carreira.

    Desbrava(dores) de livros - Participe do nosso top comentarista de setembro. Serão dois vencedores.

    ResponderExcluir
  6. Lê!
    Interessante usar o método de escrever cartas para superar um trauma.
    Muito bom!
    Gostaria de ler porque além de escrever cartas, fazer correspondência, como psicóloga gosto de analisar esses processos de catarse que tem nos livros.
    “A vida é a arte do encontro, embora haja tanto desencontro pela vida.”(Vinicius de Moraes)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    Participem do nosso Top Comentarista, serão 3 ganhadores!

    ResponderExcluir
  7. Olá!

    Adorei o post!

    Obrigada pelo carinho! <3

    beijinhos! :*

    ResponderExcluir
  8. Olá!

    Adorei o post!

    Obrigada pelo carinho! <3

    beijinhos! :*

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
© To Pensando em Ler - 2017 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Jaque Design | Tecnologia do Blogger.
imagem-logo