Tô Pensando em contos... Barba Preta

Image and video hosting by TinyPic


Barba Preta





     A cela bateu com um estrondo depois que um homem de barba escura foi jogado dentro dela por um guarda. Um monte de trapos no canto mais escuro do cômodo se mexeu e revelou ser um outro presidiário. O monte de trapos se sentou, sorrindo enquanto via o outro tentando se ajeitar no chão com dificuldade, suas mãos estavam algemadas. Provavelmente uma punição pela sua recente tentativa de fuga.

-  Acho que a sua fuga não deu muito certo, pirata. E meu nariz voltou a sofrer, como você fede.

-   É, não deu, aconteceram uns imprevistos.

-  Algum guarda te viu?

-  Não, eu me entreguei.

-  Por quê? Ficou maluco?

-  Tinha um fosso, não dava para atravessar.

-  Tem medo de crocodilos?

-  Eu, Barba Preta, maior pirata dos sete mares, com medo de uns crocodilos? Você deve estar me
confundindo com um personagem de fábulas.

-  O que foi então?

-  Tinha aquilo… água! Eu não gosto de água! Não nado!

-  O que?! Um pirata que não sabe nadar? - o som do riso ecoou pelos corredores do calabouço.

-  Qual o problema disso? Um pirata tem navio, nadar é pra quem anda na prancha! Você acha que 
eu já andei na prancha?

-  Não, claro que não, Barba Preta. Mas você preferiu voltar a apodrecer aqui, do que se arriscar a 
fugir. Isso não é normal.

-  É a água, quem vive o que eu já vivi, sabe dos riscos que aquilo trás.

-  Como assim? Qual o problema da água?

-  A água é vil, macabra e fria. Vou te contar a minha história.

     O homem de trapos andou até o outro lado da cela e se sentou ao lado do pirata.

-  Quando eu tinha apenas 5 anos, durante uma tempestade, o navio da minha família foi virado
por uma onda gigante, por sorte eu fui jogado no mar com um pedaço de madeira, boiei abraçado
naquele pedaço de madeira por horas, enquanto o mar lançava ondas e mais ondas sobre minha
cabeça tentando me matar. Mas eu sobrevivi. Foi então que um navio pirata me encontrou e o
capitão me adotou. Essa foi a primeira vez que a água tentou me matar.

-  Tá, acho que isso explica não gostar de água…  mas...

-  Calma, isso não foi tudo. Eu achei que estava protegido no navio, tinha prometido que eu nunca
mais entraria no mar. Até que um dia, fui tomar um banho, e escorreguei na maldita. A água,
entende? Bati a cabeça e fiquei  quase um dia todo desacordado. Desde então nunca mais tomei
banho. A água me quer morto. Ela quer todos nós mortos.

-  CARALHO! É por isso que você fede mercado de peixe podre? Por que tem medinho de água?

-  Não tenho medo de nada! Apenas gosto de ficar alerta, receoso. Sabe, ela me persegue, sempre
me rodeando!

-  Lógico! Você morava num navio! E agora eu vou ter que passar a vida preso aqui com esse
monte de estrume que não toma banho há…?

-  Doze anos.

-  DOZE ANOS! Espero que me sentenciem a morte logo, essa punição aqui é muito pior.. Como
sua tripulação aguentou isso?

-  Foi graças a isso que eu me tornei o maior pirata de todos os tempos.

-  Você derrotava os inimigos levantando seu suvaco?

-  Mas que bobagem! Eu os derrotava fazendo tudo que eu podia, meu m… receio de que meu
navio afundasse ou que me fizessem andar na prancha era tão grande, que eu não media
consequências. Explodia, matava sem dó, me amarrava ao meu navio e dizia que eu só saíria de lá
morto.Cheguei a cortar a pele de um subordinado pra remendar um furo no navio e evitar que ele
afundasse. Alguns inimigos desistiram só de ver meus surtos. A tripulação me achava um lunático
corajoso.

-  Mal sabiam eles que na verdade você é um pintinho assustado com medo de água.

     O pirata parecia estar cansado dos insultos, mas estava na desvantagem com as algemas, então só continuava a conversa.

-  Você bebe água né? Ou tem medo de engasgar e morrer.

-  Claro que bebo! Uso um bambu com um furo no meio para não ter perigo de engasgar, eu que
inventei. Chamei de canudinho.

-  Nem um copo de água! Mas que vergonha, quando eu ouvia histórias do grande Barba Preta. 

     Jamais imaginaria. Aliás por que Barba Preta e não Barba Negra?

- Originalmente era Barba Loira, mas depois de três anos sem banho. Barba Preta ficou melhor.












https://www.facebook.com/profile.php?id=100000610043218&ref=ts&fref=ts






















Image and video hosting by TinyPic

5 comentários

  1. Rsrsrs Acabei rindo muito do conto. Porque é possível se colocar nas linhas. Em cada riso, em cada "não acredito nisso".
    A história do maior pirata de todos os tempos, transformada em...Risos?rs
    Adorei!!!!!
    Beijo

    ResponderExcluir
  2. Ah não kkkkkkk essa eu ri. Acho que foi o conto mais divertido que li ate agora. Quem diria que o Barba Preta teria medo de agua.. Bem, é um.pouco contraditório. Que pena pro outro preso que tem que ficar perto de um fedorento kkkkk
    Adorei ;) bom dia !

    ResponderExcluir
  3. Gente, ri horrores com esse conto. O final então, o melhor. Um pirata com medo de água é cômico, sem dúvidas.
    Parabéns pela criatividade.

    Desbravador de Mundos - Participe do top comentarista de abril. Serão três vencedores!

    ResponderExcluir
  4. o conto tem um ar divertido que me agradou bastante, esse jogo de contradição foi o melhor artifício! http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Oii!
    Medo de água?! kkkk ri alto!
    Parecia tão seguro de si o Barba Preta!
    Gostei mto do conto!
    Parabéns!
    Bjs!

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...