Resenha: Melancolia



Título: Melancolia

Autor: Jon Fosse

Páginas: 404

Editora: Tordesilhas





COMPRE AQUI: FNAC,  SUBMARINO,  AMERICANAS,  BUSCAPÉ   












     "Melancolia", dor, loucura, sofrimento, obsessão, e muito mais, tudo isso faz parte desta obra, aliás, uma grande obra, um livro tão intenso, tão forte, como eu nunca havia lido.

     Uma leitura controversa, que num momento me deixava alucinada por mais, em outro me deixava cansada e em quase todos me fazia sofrer muito com a dor de Lars Hertervig.


"Hoje Hans Gude observará o quadro que estou pintando, mas não me arriscarei a ouvir o que vai dizer sobre ele, prefiro ficar deitado na cama e escutar você, Helene. Não quero sair. Porque agora sou um pinto. Agora sou o pintor."
Pag. 13


     Lars Hertervig é um pintor que realmente existiu, e Jon Fosse escreveu um romance baseado na vida e obra do pintor, mas não se trata de uma biografia, "Melancolia" é uma obra de ficção, e da melhor qualidade; diga-se de passagem.

     A trama começa exatamente em 1853 quando Lars está no meio de uma tremenda crise. Seu quadro será avaliado por Hans Gude, e Lars está decidido que não correrá o risco de não ter uma boa avaliação. Ele tem convicção de que é um pintor de verdade. Que suas obras são perfeitas. Todos os outros pintores são fajutos, só ele é bom o suficiente. Por isso, ele fica na cama, deitado com seu terno roxo, e esperando Helene.

     Helene, uma menina de quinze anos que mora com seu tio, e que alugou um quarto para Lars morar. Já Lars vive um amor louco por Helene, sua namorada.

     Mas será que Helene é mesmo sua namorada? Ou isso também faz parte da série de alucinações dele?

     Vamos viver um dia dessa crise dentro da mente de Lars.

     "Melancolia" é narrado de forma repetitiva e intensa, como a mente do protagonista. Vamos ler a mente dele.

     Depois disso acompanhamos a vida dele dentro do manicômio em que vem vivendo nos últimos anos. Lars sofre de uma obsessão muito doentia por Helene. Ele quer Helene. Como ele diz; aquela puta, mas ele a ama. Ele quer sair dali, pintar seus quadros e encontrar Helene.

     Na sequencia acompanhamos a história de Vidme, um autor que quer escrever a história de Lars.

     Essa parte pareceu-me autobiográfica demais. Jon colocou muito sentimento em pouquíssimas páginas.

     Já em "Melancolia II" iremos conhecer Oline, irmã mais velha de Lars que já é uma senhora com todas as dificuldades que são peculiares às mulheres da sua idade, mas com o agravante de ser irmã do pintor Lars Hertervig.

     Em meio a lapsos de memória, dificuldades e lembranças, Oline nos apresenta um novo jeito de conhecer Lars. Um Lars pelos olhos de Oline. A relação da família, enfim, mais melancólico e profundo. E o final é... sem palavras. Só lágrimas.

     Bem, como eu disse, nunca havia lido nada assim. É narrado de forma repetitiva. Ele faz um vai e vem e volta, como o fluxo  de um pensamento obsessivo que fica focado numa coisa e não sai.

     Não recomendo para leitores iniciantes, ou que prefiram ação ou coisa assim. "Melancolia" é um livro reflexivo que traz a mente perturbada de um artista. Exige tempo e concentração, mas garanto que se você se dedicar ao livro não irá se arrepender.

     Adorei. O livro me tocou muito. Mesmo tendo momentos mais cansativos, no final até isso fez sentido, pois nossa mente é assim também. Pensamos mil vezes a mesma coisa e esquecemos outras. Nem sempre nossa mente é uma animação só, também temos nossos momentos de melancolia.

     A capa traz uma dos obras de Lars, que era especialista em pintar paisagens. Está perfeita!

     O livro foi indicado a prêmios e já foi traduzido para 40 países. Uma obra atemporal romanceada de um artista que só foi reconhecido após sua morte. E eu só o conheci depois da leitura deste livro.

     Por isso escolhi duas obras para que vocês também o conheçam.










12 comentários:

  1. Oiie!
    Uaaaal! Cada vez que leio resenhas desse livro eu piro!!
    O livro tá mto incrível!
    Os detalhes estão mto bacanas!
    Qroooo leer logo!
    Parabéns pela resenha!!
    Bjs!

    ResponderExcluir
  2. Oi Lele!
    Não conhecia esse livro, mas achei bem interessante. Adorei isso da narração repetitiva e intensa como um reflexo da mente do protagonista. Foi para a lista.
    Beijos,
    alemdacontracapa.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. A capa do livro é realmente uma obra de arte a parte!Lindíssima!!!
    Mas eu fiquei meio perdida em relação a querer ler ou não.rs
    Já sou uma confusão em livros comuns, me peguei mais perdida ainda nesse. Gosto do gênero..mas...acho que deva ter um momento certo para ler!!
    Mas essa perturbação da mente do artista, é algo que dá o que pensar!!
    Beijo

    ResponderExcluir
  4. Nossa, já ouvi falar desse livro, mas foi em uma aula de psicologia, minha professora leu e disse que é ótimo pra quem quer estudar sobre. Parece ser realmente muito bom, e é bom ver um pouco sobre um pintor, são poucas que trazem isso de forma realmente interessante!
    Parece ser muito bom e eu adorei sua resenha <3
    Beeeijos!
    Livros, Amor e Mais

    ResponderExcluir
  5. oi Lelê, faz um tempinho que estava curiosa para saber desse livro, que interessante a proposta dele! misturar ficção e realidade
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Olá!
    Que linda capa, um contraste maravilhoso. Sua resenha, como sempre, ótima. Apesar de suas palavras positivas em relação ao livro, e da sinopse ser muito interessante e intensa, sinceramente não me chama a atenção. Não é meu estilo de leitura,mas com certeza agradará muito leitores que se identificarem com esse enredo. Obrigada. Beijos.

    ResponderExcluir
  7. Que livro dramático! É muito difícil eu ler sobre esses temas. Não gosto de me sentir pra baixo, as vezes os livros passam sentimentos e sensações. Mas ao mesmo tempo, achei o livro intrigante !!
    Boa noite

    ResponderExcluir
  8. Olá, Lelê.
    Não é o tipo de livro que costumo desbravar, mas com certeza vou querer conferir. Quero entender essa narração de ida e volta, junto com a mente do protagonista.
    Excelente dica.

    Desbravador de Mundos - Participe do top comentarista de maio. Serão três vencedores!

    ResponderExcluir
  9. Oi, Lelê.
    Que capa linda, hein?
    Mas sobre a história, apesar de parecer um livro muito bonito, não estou numa fase muito propícia para ele!
    Beijos
    Camis - Leitora Compulsiva

    ResponderExcluir
  10. Oi Alê,...
    Eu já tinha lido algo a respeito desse livro uma vez, mas só agora deu mesmo vontade de incluí-lo na minha lista de leitura!
    Parabéns pelo trabalho!

    ResponderExcluir
  11. Oi Alê,...
    Eu já tinha lido algo a respeito desse livro uma vez, mas só agora deu mesmo vontade de incluí-lo na minha lista de leitura!
    Parabéns pelo trabalho!

    ResponderExcluir
  12. Oiee Lelê! Vim conferir sua resenha! Pois é, o livro não é fácil, é cansativo e tem horas que a leitura não flui. Mas é tão lindo e tão triste; aquele final dá um apertinho no peito. E achei legal que você colocou outras obras do Lars Hertervig no fim do post. =) Bjs!

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
© To Pensando em Ler - 2017 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Jaque Design | Tecnologia do Blogger.
imagem-logo