#Resenha: A Sétima Morte

  

Título: A Sétima Morte

Autor: Paul Cleave 

Páginas: 309

Editora: Fundamento




COMPRE AQUI: BUSCAPÉ,  LIVRARIA DA FOLHA,  AMAZON













     Livros policiais são legais, mas um thriller narrado pelo assassino é muito mais divertido!

     O melhor de tudo é que este protagonista não é um psicopata; é um homem que mata por prazer e poder. Essa definição parece ser de um psicopata, mas Joe é diferente... Claro que há traços de distúrbio já que sua mãe é um pouco doida, seu pai morreu quando ele era muito novo, e ele é extremamente inteligente, mas a sensação de poder é o que move este homem.


"Uma assinatura não pode ser aperfeiçoada. Uma assinatura é a própria razão de matar. É a gratificação. Não tenho uma porque não sou como esses filhos da mãe pervertidos doentes que saem por aí matando mulheres para saciar suas necessidades sexuais. Faço por diversão. E essa é uma grande diferença."
Pag. 35


     "O Carniceiro de Christchurch" é como ficou conhecido o assassino que mata suas vítimas com requintes extremos de crueldade.

     O Carniceiro matou sete vítimas, porém uma delas nunca foi encontrada.

     Acontece que alguém matou uma mulher de uma forma bem parecida e por isso o delegado colocou essa sétima vítima na conta do Carniceiro.

     Só que ele ficou muito put# da vida com isso e viu aí uma chance de provar que não foi ele que matou essa mulher e com isso colocar na conta do outro assassino as suas próprias vítimas.

     E assim começa essa trama maluca e sanguinária.


"O truque do arremesso da faca tem tudo a ver com o balanço... se você for profissional. Se não for, tudo se resume a sorte. Eu e ela contamos com isso no momento."
Pag. 8


     O livro é narrado em primeira pessoa por Joe, e em terceira por Sally, uma moça que teve um irmão com problemas mentais que faleceu quando tinha apenas quinze anos.

     Sally é inocente e só vê a bondade das pessoas. Não enxerga maldade em ninguém; mesmo trabalhando em uma delegacia, ela tem esse ar inocente.

     Assim como o Carniceiro, Sally e todos os outros personagens escondem segredos, e estes segredos levam à uma confusão e uma matança sem fim.

     A história é viciante e de tirar o fôlego.

     Não há limite para a loucura dos personagens de Paul Cleave, alguns são até muito engraçados.

     Gostei muito da leitura, adoro a escrita do autor!

     A capa é bem bonita e a diagramação é simples, mas bem feita. 

     Em alguns momentos a leitura fica mais lenta, mas convenhamos, estamos lendo pelos olhos de um maluco, portanto, até ele tem seus momentos de olhar pro teto e refletir, e no final isso faz todo o sentido.

     Super recomendo para quem curte livros policiais, terror, horror, suspense e thriller. Tem sangue para todos!!




















9 comentários

  1. Eu gosto demais deste "brincar com a mente" do leitor. E nada melhor que um assassino tentando tirar um crime da sua cota..rs
    Nunca tinha lido nada parecido e mesmo dando uma risadinha, é possível sentir o peso da história.
    E claro que o livro vai para a lista de desejados!
    Beijo

    ResponderExcluir
  2. Oláa!!
    Achei uma historia impressionante e viciantemente com o direito de prender o leitor sem sombra de duvida, acho que o personagem principal faz de tudo para conseguir provar uma coisa que não fez faz todos pensarem, e agora o que ele realmente pode fazer com toda essa situação?
    Não vou mentir, agora quero saber do final já conquistou a minha falência quero ler rsrsrsrsr.
    Abraços!!!

    ResponderExcluir
  3. Lelê, eu quero esse livro. Tipo, quero para ontem. haha
    Adoro livros com assassinos; quando eles narram então, melhor ainda. E deve ser bem louco um assassino querendo provar que esse crime não é seu.
    Ótima dica.

    Desbravador de Mundos - Participe do top comentarista de março. Serão três livros como prêmio, sendo dois autografados.

    ResponderExcluir
  4. Oi, Lelê.
    Eu adoro thrillers e já anotei essa dica!
    Gosto muito desse tipo de livro que alterna os pontos de vista e que faz a gente pensar!!
    Beijos
    Camis - blog Leitora Compulsiva

    ResponderExcluir
  5. Já li histórias do tipo narrado pelo assassino, então acho que iria gostar. Mas os que li sempre destacam o quanto o cara é doente. Esse me pareceu um tantinho diferente.
    E a garota toda inocente ali? Gente...sério, olha onde ela trabalha. Pode isso? Achei interessante esse detalhe e fico imaginando como ela vê as pessoas e as situações sendo assim...
    Mas o livro parece ser bem gostoso de ler. Por já ter uma queda por coisas assim acho que é uma ótima dica de leitura =)

    ResponderExcluir
  6. Lê!
    Por mais que queira dizer que ele não é psicopata, ele é sim e ainda tem o extra do prazer ao matar.
    Ter uma protagonista em uma delegacia de polícia é no mínimo esquisito, mas como gosto de thriller do gênero, quero ter a oportunidade de ler.
    “Todos os homens, por natureza, desejam saber.” (Aristóteles)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP Comentarista de MARÇO, livros + KIT DE PAPELARIA e 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
  7. oi flor, que bom que curtiu, confesso que não é um enredo que me atraia e por agora eu não leria
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Nunca vi um livro em que um assassino tenta provar sua inocência, adoro thriller e amo livros policiais, esse me interessou bastante por ser narrado da perspectiva do assassino, já quero ler, o mais rápido possível!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  9. Um thriller narrado pelo assassino! Já me atraiu!
    Existe uma linha muito tênue entre a psicopatia pura e a maldade inerente ao ser humano, e fiquei curiosa para ler e tirar minhas conclusões a respeito desse protagonista.

    Anotado! :)

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...