#Resenha: Cartas de Amor aos Mortos

  

Título: Cartas de Amor aos Mortos

Páginas: 344

Autora: Ava Dellaira

Editora: Seguinte


Resenhado por: Julia Maia



COMPRE AQUI:  SARAIVA, AMAZON













     O livro foi escrito por Ava Dellaira, que é formada pela universidade de Chicago e mestre pela lowa writers´workshop. Ela cresceu em Albuquerque, no Novo México, onde passou incontáveis tardes de verão fazendo poções mágicas, lutando contra bruxas más e se divertindo com outras brincadeiras inventadas, que provavelmente contribuíram para que se tornasse uma contadora de histórias. Atualmente vive em Santa Monica, na Califórnia, onde trabalha na indústria cinematográfica e escreve seu segundo romance. Foi publicado pela editora FSG nos Estados Unidos, e aqui no brasil foi pela editora Companhia Das Letras em um selo jovem deles chamado Seguinte.
     O livro conta a história de uma adolescente chamada Laurel, que é uma garota doce e, em muitos aspectos, verdadeiramente inocente, que acaba de passar por um momento muito difícil, onde todo o seu mundo mudou, onde só sobraram as lembranças do passado, ela perdeu a irmã May, que morreu a alguns meses. Laurel se sente perdida e sozinha, porque a irmã era tudo pra ela. Aquele tipo de irmão que se tem ajuda, que te protege, que te ensina, que te inspira que é sua amiga acima de tudo. Laurel amava o modo como ela era linda, viva, destemida, e corajosa. Ela amava o modo como ela parecia estar acima de tudo e todos, o modo como ela amava a vida, como parecia ter asas e podia voar. Ainda ama, e ela sempre amaria. Ela nunca se sentia assim, nunca sentia que pudesse voar, nunca se sentiu especial ou que ela tivesse o brilho que a irmã tinha. Ela sempre foi a sombra da irmã, mais agora aquela sombra já não estava mais lá. E com isso ela tem que enfrentar várias coisas sozinha. Mas ela sempre se pergunta o porquê de May não estar mais com ela. 
     Um novo ano se inicia e Laurel decide mudar de escola, para evitar que as pessoas não ficassem com pena dela, um lugar onde pudesse recomeçar. Mas não é fácil, ela não tem amigos, passa uma semana com o pai uma semana com a tia, e fala com a mãe as vezes por telefone, ela está perdida. É na aula de inglês que Laurel recebe uma tarefa: escrever uma carta para alguém que morreu. Logo a garota escolhe Kurt Cobain para escrever sua carta, pois a irmã o adorava, mas acaba sendo um desabafo tão intenso que ela não tem coragem de entregar a tarefa. Mas a experiência foi tão interessante, ter alguém que você admira e se identifica, e poder desabafar mesmo que por uma carta.
      É uma coisa nova pra ela então ela começa escrever cartas para várias pessoas “famosas” com quem ela se identifica. Então Laurel conhece Natalie e Hannah, duas garotas bonitas que sabem o que é ser diferente, e a aceitam apesar de seus segredos e seu jeito retraído. Ela também se apaixona por um garoto enigmático chamado Sky. Mas nem as novas amigas nem sua paixão, conseguem com que ela esqueça a partida da irmã. E conforme o tempo vai passando, e as coisas vão acontecendo na vida da Laurel, ela vai escrevendo para outras pessoas com quem ela se identifica, contando coisas do seu dia e da sua vida.
     O livro tem muitas situações de músicas ou de poemas, muito bons que tem envolvem na leitura e que parece que foram feitas para estarem exatamente ali naquela página. Laurel escreve para a personalidade que mais se relaciona com o que ela está passando, sentindo ou recordando no momento. Em muitas cartas vemos suas confissões para Kurt Cobain, Judy Garland, River Phoenix, Amelia Earhart, Amy Winehouse entre outros. E um ponto importante é que não apenas desabafa, mas também mostra facetas e nuances de cada personalidade que talvez nem conheçamos. Foi muito cativante, ler o que ela escrevia e o que sentia, também conversava com a personalidade, nos mostrando não apenas o lado artístico, mas o lado humano e real. Os sofrimentos, as dificuldades. Eu não sabia nada sobre a infância de Judy Garland, por exemplo, ou de coisas das vidas de muitas outras personalidades, mas agora entendo melhor cada uma das pessoas com quem ela “conversou” em suas cartas. Também me senti emocionada com a relação que cada um tem ou teve para os sentimentos de Laurel, e o que ela vive ou viveu.
     O livro também é muito interessante pra quem gosta de música ou adora ouvir músicas enquanto está lendo, porque há várias músicas mencionas. Eu adoro ouvir música quando estou lendo mais eu estava tão envolvida na história que eu não queria parar para achar a música então eu só escutei elas depois que eu li. O importante é você relembrar daquela música que você gostava ou descobrir uma que você nunca tinha ouvido. Uma das coisas legais do livro, é que você se apaixona por cada personagem, de um jeito diferente e por sua característica única. É incrível ver o crescimento, e o amadurecimento de todos eles e principalmente o da Laurel. O livro mostra de várias formas como amar, como ser amado, como superar suas perdas e todas as dificuldades. O livro é narrado pela Laurel. Tem uma linguagem muito fácil de entender, e o final é incrível, onde os personagens amadurecem junto com o leitor.
     E para aqueles leitores que adoram que os seus livros favoritos virem filme, ou aquelas pessoas que não gostam de ler e preferem assistir ao filme. Foi divulgado que o livro vai ganhar uma adaptação para o cinema. A empresa 20Th Century Fox comprou os direitos para adaptação do filme, que ficará por conta do Wyck Godfrey e Marty Bowen que trabalharam juntos em A Culpa É das Estrelas. O roteiro será escrito pela própria autora.
O que acharam? Já conheciam o livro? Deixe sua opinião aqui nos comentários!!













a Rafflecopter giveaway




















6 comentários:

  1. Este é um livro que namoro já tem um bom tempo. Por amar música e claro, a citação de Kurt é outro ponto bem forte(amo)
    Mas isso de poder se comunicar com os mortos de uma forma tão diferente e poética, é algo que mexe com as emoções da gente.
    A dor de uma menina, o novo ali,na sua frente. Mudanças...
    Sentimentos em conflito o tempo todo.
    Sem contar a capa que é belíssima.
    Quero muito poder ler!
    Beijo

    ResponderExcluir
  2. Ual...
    Estou emocionada com esse enredo, eu conhecia apenas por nome, nunca tinha lido resenhas dle...É lindo Lelê!
    Qro ler pra ontem!
    Bjs!

    ResponderExcluir
  3. Oi, Julia!!
    Também gostei muito desse livro e quando estava fazendo a leitura dele não parei por nada!! Adorei saber a noticia do filme!!
    Bjoss

    ResponderExcluir
  4. Eu adorei o livro, realmente uma perda é muito difícil até a gente aceitar a dor minimiza com o tempo mais a lembrança fica é interessante escrever a personalidade de cada personagem.

    ResponderExcluir
  5. no lançamento não me liguei muito nessa trama, mas hoje em dia tenho muita curiosidade
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Julia!
    Deve ser um ótimo livro, sem contar que escrever cartas é bem terapêutico e se ainda vem com músicas e falando sobre a vida das personalidades para quem ela escreve as cartas, deve ser deleitre puro.
    Boas festas juninas!!!!
    “O que importa afinal, viver ou saber que se está vivendo?” (Clarice Lispector)
    Cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DE JUNHO 3 livros, 3 ganhadores, participem.
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...