Resenha: Joyland


  

Título: Joyland

Autor: Stephen King

Páginas: 239

Editora: Suma de Letras





COMPRE AQUI: FNAC,  BUSCAPÉ,  AMAZON











     Pela primeira vez eu experimentei um sentimento de quase decepção, mas que depois acabou se transformando no amor de sempre!



"Só posso dizer o que você já sabe: alguns dias são preciosos. Não muitos, mas acho que em quase toda vida há alguns."
Pag. 185


     Devin Jones achava que estava vivendo o pior ano da sua vida. Ele é tão dramático, tão dramático, que foi por causa dele que eu quase desisti do livro.

     Vou explicar melhor.

     Estamos em 1973, Devin está na faculdade e tem vinte e um anos. Ele acredita que sua vida é horrível, só porque a "namorada" o deixou.

     Para se curar dessa tristeza sem fim, ele resolve ir trabalhar temporariamente no parque de diversões Joyland.


"Foi o ano perdido de Devin Jones. Eu era um virgem de vinte e um anos com aspirações literárias. Tinha três calças jeans, quatro cuecas, um Forde velho (com um rádio bom), pensamentos suicidas eventuais, e um coração partido."
Pag. 8


     Isso foi o que me incomodou. Vocês sabem que romance não é meu forte; mas pessoas que sofrem horrores por um amor que só eles acham que exita, aí lascou... Odeio sofredores de amor. Detesto dramas românticos, personagens que fazem MIMIMI por amor, definitivamente tudo isso me cansa.

     Aí entrou na trama a Linda Gray.

     Linda tinha morrido alguns anos antes, vítima de um possível psicopata. Foi encontrada morta no trem fantasma, e pelo que o povo conta, ela ainda está lá.

     Devin não vê o fantasma de Linda, mas a curiosidade falou mais alto e ele vai investigar.

     Nessa hora eu achei que não seria de todo ruim e criei forças para continuar a leitura.


"O ar estava mais frio. Não o bastante ara que minha respiração virasse vapor, mas definitivamente mais frio."
Pag. 120


     Confesso que penei para chegar até a página 100. Não estava reconhecendo o autor nas páginas, não tinha o terror que eu estava esperando, nem um leve suspense... Até que... o jogo virou!!

     À partir daí um monte de coisas acontecem, um monte de personagens entram na trama.

     Todo aquele marasmo das primeiras páginas começam a fazer sentido, as peças vão se encaixando e fica impossível de parar de ler.

     A investigação sobre o fantasma de Linda Gray fica ótima e este ano que Devin achava que eera o pior da sua vida, passou a se tornar o mais romântico, alucinante, lindo e inesquecível da sua vida.


"Os jovens crescem, mas os velhos só ficam mais velhos e mais seguros de que estão certos. Principalmente se conhecem as escrituras."
Pag. 141


     Outra coisa que amei e que é comum nos livros do autor, é a discussão sofre fé e religião. Amo a maneira que ele coloca sua opinião. E se você não concorda, Stephen deixou um recado para você na última página, mais precisamente na "Nota do Autor".


" - Não entendo para que  as pessoas usam a religião para se magoarem quando já exite tanta dor no mundo - disse a Sra. Shoplaw. - A religião deveria reconfortar."
Pag. 141


     A capa é incrivelmente perfeita e traduz um momento do livro muito bacana. A diagramação é simples, mas bem feito.

     Se você tem medo de ler os livros do autor porque tem medo de se deparar com o terror que é a marca registrada de Stephen, saiba que Joyland não tem nada de aterrorizante. Muito pelo contrário. É uma história de amor, de perda, de superação, com direito a reviravoltas e momentos de reflexão.

     Amei a leitura e recomendo demais!!


" - Ele disse que Deus pune o descrente e o pecador. Disse que a filha não era diferente e que talvez o mal do filho dela a levasse de volta a Deus."
Pag. 140


"Na metade do brinquedo, que dura uns 9 minutos, ele cortou a garganta dela e a jogou na lateral do trilho pelo qual o carrinho segue. Como se ela fosse lixo."
Pag. 28


" - Eu nunca entrei naquela porcaria de trem fantasma, então não tenho certeza. Mas é uma história de assassinato. Disso eu tenho certeza."
Pag. 27












Eu não costumo postar capas pelo mundo, mas como a nossa capa, na minha opinião é a mais linda, decidi compartilhar algumas das que já foram publicadas por aí.

Eu prefiro a nossa, mas e vocês??


  
  







 





 





 






















10 comentários:

  1. realmente, pela trama a capa brasileira tem muito mais a ver, confesso também que King não desce, não curto muito!
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Olá, Lelê.
    Já estou com esse livro em casa, mas ainda não tive a oportunidade de ler a obra, infelizmente. Porém, está na lista para o próximo ano.
    Acredito que terei dificuldade nas primeiras páginas, assim como você, porque não gosto de romances. Mas, se melhora depois, vale o esforço.

    Desbrava(dores) de livros - Participe do top comentarista de novembro. Você pode ganhar um livro incrível!

    ResponderExcluir
  3. Mulher, eu amei esse livro. Li ele para o blog da Giulia e to morrendo de curiosidade pelo novo dele, que também terei o prazer de acompanhar *-*.

    ResponderExcluir
  4. Lê!
    Que susto tomei...
    Estou com o livro aqui e ansiosa pela leitura e você quase desistiu dela.
    E que alegria saber que o livro muda após algumas páginas.
    Agora poderei ler...
    “Sem a música, a vida seria um erro.”(Friedrich Nietzsche)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    Participem do nosso Top Comentarista, serão 3 ganhadores!

    ResponderExcluir
  5. É a segunda resenha que leio sobre essa obra do Mestre e ambas dizem a mesma coisa, o não reconhecer as letras dele até mais da metade do livro!
    E por ser um livro relativamente curto, em relação aos que ele faz, isso fica complicado de querer ler.
    Quando saiu, fiquei toda empolgada e depois de ler a primeira resenha, essa vontade passou rapidinho.
    Hoje, lendo a sua resenha, senti vontade em insistir na leitura e quem sabe também, me deliciar com as letras do King!!!
    Beijo

    ResponderExcluir
  6. Amo ler os livros do Stephen mas esse é um dos que não tenho e ainda não li. Gosto muito deles, pois são ótimos suspenses e a gente fica presa, na expectativa do que vai acontecer. Vi as outras capas que vc postou e, sinceramente, tem mais bonitas do que essa brasileira. Mas, o que vale mesmo é o conteúdo, não é mesmo?

    ResponderExcluir
  7. Oi Lele! Que bom que o livro te deixou contente, lembro que você comentou que a leitura não estava fluindo, mas vale a pena insistir, é um belo livro. Não tem o terror dos demais, mas a história ainda assim mexe com a gente de uma maneira diferente.

    Bjos!! Cida
    Moonlight Books

    ResponderExcluir
  8. Estou doida pra ler esse livro, curto muito a escrita de Stephen King, parece ser bem envolvente e cada resenha que leio dele me deixa ainda mais interessada em conferi essa história, lindas todos as capas.

    ResponderExcluir
  9. Sobre a história em si, embora seja bastante divertida e emocionante em partes, o final não foi tão bom quanto eu esperava. Ainda assim, é bem acima da média e eu recomendo a quem gosta de histórias sobre assassinos em série e parques assombrados.

    ResponderExcluir
  10. Olá!!
    Que bom que você não desistiu do livro e conseguiu descobrir que ele é muito bom , eu ficaria espantadíssima se fosse diferente pois o Stephen King é muito bom , e estou ansiosa pra ler esse livro e conhecer esse lado menos assustador da escrita dele.
    Bjocas!!

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
© To Pensando em Ler - 2017 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Jaque Design | Tecnologia do Blogger.
imagem-logo