Resenha: Televizinhos

  

Título: Televizinhos
Autor: Toni Brandão
Ilustrador: Marcelo Cipis
Páginas: 166
Editora: Edelbra 

COMPRE AQUI:  CULTURA,  BUSCAPÉ










Sabe quando você conhece um autor de tanto ouvir falar, mas nunca leu nada dele?

Essa era a minha relação leitor-autor com Toni Brandão.

Já sabia alguma coisa: sabia que sua narrativa era muito fluida, que ele falava a língua dos jovens de hoje,  que é conhecido como  autor multimídia - pois seus livros abordam temas e comportamentos dos jovens urbanos). Além de outras coisas.
Enfim, mergulhei em "Televizinhos tendo uma boa ideia do que esperar, e não me arrependi. Foi ótimo!!
"O rádio levou quase 40 anos para atingir 50 milhões de habitantes. A TV, 13... e a internet quatro. Quatro anos! Dez vezes mais rápido para conectar 50 milhões de pessoas."
Pag. 91

"Televizinhos" é narrado por Kiko, um   garoto que está naquela idade entre ser criança e ser adolescente. Aliás, seus três amigos são da mesma idade, e os quatro são muito unidos.

Kiko, Claro, Tuto e Rita irão descobrir muitas coisas juntos nesse livro!
" - Vocês já viram esses programas femininos que passam  à tarde, em que os apresentadores ficam mostrando as coisas que aparecem  nas revistas de fofocas, sobre a vida dos artistas? É uma das coisas mais deprimentes que eu já vi na minha vida..."
Pag. 79
Tudo começa quando Kiko, Clara, Rita e Tuto estavam na portaria do prédio  onde moram. Os quatro e o porteiro estavam  assistindo um vídeo na internet no tablet.

Eles estavam  tão concentrados no vídeo que nem  perceberam  quando a síndica chegou e ficou do lado de fora esperando Seu Rai, o porteiro, abrir o portão.

Quando a síndica enfim entrou, foi direto brigar com Seu Rai e tomar a decisão que irá mudar a vida das crianças.

Dona Margarida decide que o melhor a se fazer é uma reunião de condomínio para mandar Seu Rai embora.
"Se bem que sem emprego fixo há tanto tempo, o cara nem deve estar trocando de tênis ou de celular, assim,  tão fácil."
Pag. 26
Pronto, agora Kiko, Tuto, Clara e Rita começam a se sentir culpados e resolvem ajudar Seu Rai.

Eles decidem ir de apartamento em apartamento e convencer os moradores a votarem contra a demissão do Seu Rai.
"Tirando os canais de TV a cabo, em que só passam desenhos e programas infantis, não  tem quase nada na televisão pra gente da nossa idade: os quase-adolescentes."
Pag. 32
E é aí que começa toda a aventura e aula de cidadania, além de uma tremenda socialização.

Cada vizinho reage de uma maneira diferente à história dos garotos, cada um contará de um jeito diferente sua motivações para o sim ou para o não ao pedido deles.
     
Mas o mais importante é que cada morador é diferente do outro, e como eles entram no 'apê' de todos, descobrem  coisas que jamais imaginariam.

Sobre educação, religião, cultura, tristeza, família, tudo o que cada um tem de diferente.

Bem, eu adorei! Me senti descobrindo tudo junto com eles. Coisas que nem eu sabia, como por exemplo particularidades de uma família judia, ou árabe. Só o que vemos  nas novelas definitivamente não é suficiente. 

O livro é lindo! A história é rica, os personagens são encantadores, as ilustrações são ótimas, o autor narra de forma rápida e deliciosa, a diagramação é perfeita... Eu definitivamente adorei tudo!

Com certeza lerei mais livros do autor.

Recomendadíssimo!!!



Comente, clique e participe

11 comentários:

  1. Acho que mais que esse lance de companheirismo, o livro aborda um tema ainda mais complexo e completo!
    Humanidade.
    Até que ponto temos consciência de quem vive ao nosso redor? Quem são, onde moram, como vivem?(Assista, sexta-feira logo após a novela..rs)
    Brincadeiras a parte, eu gosto muito de tudo isso. Dos costumes, do aprender a conhecer e claro, acima de tudo ajudar o próximo!
    Adorei =)
    Beijo

    ResponderExcluir
  2. Nossa que história linda de amizade, solidariedade, sobre cultura e educação, fiquei bastante interessada em ler esse livro.

    ResponderExcluir
  3. Olá, Lelê.
    Confesso que não esperava isso tudo do enredo e do livro, sua resenha me surpreendeu. Acho legal quando a literatura nos faz conhecer sobre novas culturas e ainda nos ensina muito sobre educação, solidariedade e etc.
    Com certeza é uma leitura que vou querer fazer!

    Desbrava(dores) de livros - Participe do nosso top comentarista de junho. Você escolhe o livro que quer ganhar!

    ResponderExcluir
  4. Sinceramente eu gostei mais do livro por causa da união dos 4 amigos e tal, mas o livro em si não gostei muito, mas se me desem eu leria sim...
    http://infinitoparticulardoslivros.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  5. Oi Lelê, este eu vou deixar passar, quem sabe mais para frente.
    Bjs,Rose.

    ResponderExcluir
  6. Oi Lele querida ♥ fiquei encantada com o livro e pelo que tu falou, raramente livros do gênero me chamam atenção, mas vejo que pode existir muita coisa boa por aí para qualquer idade. Fiquei bem interessada.

    Beijos,
    Joi Cardoso
    Estante Diagonal

    ResponderExcluir
  7. Lele!
    Quando li o título do livro, achei que seria um enredo parecido com os Jetsons...kkk
    E que bom que estava errada.
    O livro é muito, muito interessante mesmo e quando envolve uma vida em comunidade, nem é tão comum de ser visto por aí.
    “Dos amores humanos, o menos egoísta, o mais puro e desinteressado é o amor da amizade.”(Cícero)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    Participe no nosso Top Comentarista!

    ResponderExcluir
  8. Lelê, autores que falas dos mais jovens com tanta propriedade que são capazes de convencerem até quem não está nesta faixa - aqui me incluo! - são raridades então devemos mesmo saborear estes textos! Gosto muito dos infanto-juvenis e juvenis quando eles não se preocupam em subestimar o leitor, quando o trata com igualdade e respeito. Vou procurar ler Toni Brandão ;)

    ResponderExcluir
  9. parece bem jovial! gostaria de me arriscar com o enredo
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Oi Lelê!!!
    Esse parece ser o típico exemplo de que o "menos é mais", a partir de uma proposta simples o autor desenvolve essa histórica super rica em relações humanas e diversidade cultural. Adorei a dica!!
    Beijos... Elis Culceag. * Arquivo Passional *

    ResponderExcluir
  11. Mesmo sendo um livro infantil, os autores elaboraram a trama de uma maneira simples, mas que ao decorrer cita temas importantes da atualidade. e isso foi o que me amarrou na leitura :D

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
© To Pensando em Ler - 2017 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Jaque Design | Tecnologia do Blogger.
imagem-logo