Resenha: Minta Que Me Ama



Título Original: Any Dream Will Do
Autor: Maria Duff
Tradutor: Paulo Polzonoff Junior
ISBN: 978-85-8163-659-7
Ano de Lançamento: 2014
Gênero: Ficção Irlandesa
Páginas: 382
Editora: Novo Conceito
Nota: 4/5
Estante: Skoob
Onde comprar: Saraiva / Cultura / Buscapé


Resenha: ERI GUIMARÃES







Olá Galera!!

O livro de hoje é especial por vários motivos. O primeiro dele é por conta do tema. Todo final de ano a Editora Novo Conceito traz livros com temas natalinos, onde as mensagens de amor, superação e amizade faz com que esse período de festas seja ainda mais gostoso de se curtir. O segundo motivo desse livro ser especial é porque ele marca o inicio da parceria entre o Literalmente Amigas e o Tô Pensando Em Ler. E o terceiro motivo é por ele ser ficção irlandesa, e quem me conhece um pouquinho sabe que simplesmente amo demais o país e autores de lá.


“Minta Que Me Ama” é daqueles livros que fisgam sua atenção desde a primeira palavra. Narrado em primeira pessoa tem um tom cômico, com um humor quase negro – um típico Chick-Lit. As situações são tão comuns na nossa rotina que tudo poderia estar se passando conosco ou com conhecidos e isso faz com que a conexão com o leitor seja imediata.

Jenny Breslin é uma mulher que está chegando aos trinta anos. Sua vida é extremamente normal para uma solteira. Ela tem poucos amigos e a maioria está casada, com filhos o que limita sua companhia para saídas noturnas e limita ainda mais os assuntos para conversas.
Nossa protagonista não tem sorte no quesito romance, sempre se esbarrando com cafajestes que fazem sua autoestima despencar. Seu trabalho também é entediante e sua chefe “Cara de Tamanco” sempre pega em seu pé.

E pra coroar a vida de Jenny, ela tem um péssimo relacionamento com sua mãe. As duas são extremos opostos, enquanto Jenny tenta forçar um lado rebelde para ser vista, sua mãe é do tipo “nunca deixei de ser adolescente”. Essa modernidade toda faz com que Jenny se afaste e sinta muita falta de seu pai, com quem era mais ligada.

Mas, isso tudo é apenas na vida real, pois na vida virtual... Jenny é viciada em Twitter. Se dedica a esse aplicativo há um ano e com isso conseguiu ficar mais próxima de três mulheres: Zahra (que trabalha como maquiadora em um estúdio de televisão), Fiona (uma super dona de casa e mãe exemplar) e Kerry (uma enfermeira muito competente).

O problema é que Jenny acabou floreando muito sobre sua realidade, falando sobre um bom emprego, seus relacionamentos amorosos mega interessantes e sua família super unida. Ter fantasiado tanto assim sobre sua vida em uma rede social não seria problema se Jenny, numa noite de bebedeira solitária, não tivesse convidado as três mulheres para o final de semana em Dublin.

Sério, só de ler a sinopse um sorriso já começa a aparecer, afinal, é impossível não pensar nos grandes rolos que essa situação pode provocar. Jenny é uma personagem muito engraçada, ainda imatura e insegura em relação ao seu lugar no mundo. Seus pensamentos são muito espontâneos e sua impulsividade dá um charme grande a essa atrapalhada personagem.

Como já é de se esperar, ao conhecer suas amigas na vida real todas as informações são colocadas em xeque. Será que todas falavam realmente a verdade sobre suas vidas ou, como Jenny, florearam em pequenos detalhes inofensivos.

“Minta Que Me Ama” traz uma mensagem muito legal sobre os perigos que podem estar escondido sob os perfis da internet, sobre o peso da mentira e sobre como o verdadeiro amor e amizade podem transformar vidas completamente.

Adorei o toque dramatico – que de drama não tem quase nada – e como tudo desenrolou no final. Ficou com aquele gostinho de quero mais depois do desfecho, principalmente porque de todos os temas o romance foi o menos focado.

Uma coisa que amei demais foi o inicio de cada capitulo. Todos iniciam com a contagem regressiva para a chegada das três amigas a Dublin e é seguido pelo sonho – ou seria melhor dizer, pesadelo – que Jenny teve naquela noite. É cada coisa bizarra que acabei me perguntando o que a autora fumou enquanto escrevia. O interessante é que esses sonhos acabavam bem interligados com o acontecimento daquele dia na vida da Jenny, algo como uma previsão.

Há personagens tão excentricos, outros tão apagados, isso deu um clima de realidade ao livro. E as situações em que todos se envolvem são desesperadoras de tão possiveis de acontecer com qualquer pessoa, que foi impossivel não rir dos absurdos.

E a lição de moral é super valiosa, principamente nessa época onde estamos completamente rendidos à vida virtual que às vezes esquecemos como é interagir na vida real.
Uma leitura leve, bem estilo Sessão da Tarde. O livro de estreia da Maria Duff com certeza é um prato cheio pra quem quer se divertir.
























5 comentários:

  1. Que legal essa interação entre vocês, Lelê.
    Eu já vi bastante a obra na blogosfera, então sei mais ou menos como é a história. Confesso que não sabia ou ao menos nunca tinha prestado atenção que todo fim de ano a NC prepara uma edição assim.
    É bem legal e emocionante quando a obra nos prende e fisga a nossa atenção por completo.
    Legal abordar o Twitter também, deixa as coisas tudo muito recentes.
    Adorei.

    M&N | Desbrava(dores) de livros - Participe do nosso top comentarista. São 4 ganhadores e você escolhe o livro que deseja ganhar.

    ResponderExcluir
  2. Adorei a resenha!!

    Acho que é um livro leve e uma boa pedida pra ler no clima Natalino, mas não fiquei tão curioso ou tão interessado pra ler. De fato é bom pra pensar nas nossas relações pessoais, principalmente as que mantemos virtualmente.

    Parabéns pela resenha!!

    http://lendoferozmente.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. primeiramente, parabéns pela parceria, os blogueiros precisam ser mais unidos mesmo! sobre o livro, estou bem curiosa desde o lançamento, eu amo um romance e creio que essas pitadinhas de humor vão dar ainda mais leveza à história
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Gosto bastante desses livros em que o personagem se encontra em insatisfação com a vida. Geralmente traz história de superação, o que me é fascinante!

    ResponderExcluir
  5. Oi Lelê. Parabéns pela parceria. :D Adorei a resenha. Acho que é quase unanime entre as pessoas que se deve ser o mais verdadeiro possível nas redes, mas claro que sempre existem as pessoas que mentem e se passam por outras e é aí que reside um grande perigo! Que bom que no final tudo se acerta né. Bjoks da Gica.

    umaleitoraaquariana.blogspot.com

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...