Resenha: Trash


Título: Trash

Autor: Andy Mulligan

Páginas: 221

Editora: Cosac Naify




COMPRE AQUI:  SARAIVA,  BUSCAPÉ,  AMAZON  










     Já adianto que este foi o segundo livro que entrou para minha lista de favoritos de 2015. Por vários motivos, mas o principal é que a narrativa peculiar me encantou muito.


"Se você visitar este país, faça as rotas
turísticas. Mas conheça Behala também,
e veja a montanha de lixo, e as crianças
que coletam lixo. É de mudar a vida de uma pessoa."
Pag. 82



     O protagonista do livro é Raphael, um garoto de quatorze anos que vive com uma tia e vários primos. Todos moram dentro de uma caixa que fica em um lixão. É do lixo que tiram seu sustento.
     
     Raphael apesar de toda a miséria que lhe é imposta, ainda assim mantêm um sorriso lindo e cativante. Mas o que mais me impressionou nele foi sua honestidade e força de vontade.

     Além dele ainda temos mais dois garotos que dividem o posto de protagonista. Não consegui vê-los como secundários, pois são tão importantes para a trama que me arrisco em dizer que são segundos protagonistas. São eles Gardo e Rato.

     Gardo mora com sua família no mesmo lixão e é o melhor amigo de Raphael. Já Rato é sozinho no mundo e mora nos esgotos de Behala.


"Em um dia bom, tiro duzentos pesos. Em um
dia ruim, consigo quase cinquenta. Então, se você
vai vivendo um dia de cada vez e torce para não
ficar doente. A sua vida é o gancho que você 
carrega na mão, revirando o lixo."
Pag. 12


     A história começa quando numa manhã revirando o lixo, Raphael encontra uma carteira com mil e cem pesos, uma chave diferente dessas de residência dentro de um mapa dobrado, uma foto de uma menina, um papel com vários números e a identidade de um homem chamado José Angelico.

     Definitivamente mil e cem pesos não mudaria a vida dele, mas com certeza lhe daria um jantar melhor. 

     Raphael e Gardo vasculham a carteira e guardam tudo de volta menos o dinheiro. Gardo fica com quinhentos pesos e os dois ficam felizes por um breve momento.

     No final da tarde vários carros de polícia com muitos policiais começam a andar no meio do lixo em busca de informações sobre uma tal bolsa com uma carteira dentro. Oferecem dinheiro para quem encontrá-la. Raphael com medo resolve ficar com a carteira, mas para que isso fique bem escondido ele e Gardo pedem ajuda ao Rato, afinal quem irá entrar no esgoto??


"Tudo o que eu conseguia pensar era em 
como as mentiras se amontoavam, e como eu
esperava que aquilo valesse a pena. A bolsa
estava em um lugar seguro, com o Rato - eu
queria sair de lá para conferir."
Pag. 38


     Claro que os garotos percebem que a tal bolsa deve esconder um segredo muito grande para que a polícia em peso fique atrás de todos no lixão. Claro que eles pensam que deve envolver muito mais dinheiro do que os policiais estão dispostos a pagar. E é claro que os três vão fazer de tudo para descobrir.

     Num esquema de investigação, adrenalina e tortura, os três vão correr por ruas e fazer coisas que eles jamais imaginariam fazer, até conseguir descobrir todo o mistério. E este mistério pode mudar toda a política da cidade e a vida dos moradores de Behala.

     Um roubo. Dinheiro fruto de outro roubo. Muitas intrigas. Políticos corruptos e bandidos. É um absurdo tudo que é narrado aqui.


    "Eles quebrariam todos os ossos do nosso
corpo, de um modo lento e doloroso.
Sentiriam prazer nisso."
Pag. 151


     E por falar em narrativa já adianto que ela é estupenda. Os capítulos são narrados por seus personagens em formato de cartas, como se estivessem respondendo à uma entrevista para uma biografia. Então cada um entra no seu capítulo e conta sua versão daquele momento. Todos os personagens tem voz e ação.

     Além dos três garotos, ainda vamos conhecer o Padre Juliard e a voluntária Olívia. E também alguns outros que tiveram uma passagem pequena, mas muito importantes.

     
"José Angelico morreu em uma delegacia de
polícia, era o que diziam os jornais, e por isso
não cedi, e continuei fiel à mentira, mesmo
quando me penduraram na janela - fiz
isso por José Angelico e por sua filha
de rosto sério."
Pag. 75


     Eu assisti o filme (maravilhoso) antes de ler o livro, portanto posso garantir que na medida do possível o filme é muito fiel à trama.

     Só não é mais fiel por causa da localização. Ou seja, este lixão narrado no livro fica em Behala, na Índia, portanto algumas coisas que acontecem por lá não acontecem por aqui. O lixão do filme fica no estado do Rio de Janeiro. 

     O diretor Stephen Daldry conseguiu transmitir para a tela todas as emoções passadas no livro. Impecável.

     Vou dar um exemplo: No filme eu me apaixonei pelo Rato, juro que queria trazê-lo pra casa. E no livro essa mesma sensação voltou com força total. Com certeza o autor queria passar isso, transmitir a grandiosidade do garoto que mora nos esgotos. Os dois, tanto autor, quanto diretor, conseguiram fazer isso.

      As diferenças ficam somente nas leis, mas a corrupção com certeza é a mesma. Até nisso o diretor acertou.

     Andy Mulligan já viajou  pelo mundo lecionando inglês para crianças, e foi assim que ele conheceu o garoto que o inspirou a criar o Raphael deste livro. Ele tem experiência, vivência e bagagem para escrever um livro como Trash, que aliás já foi traduzido para mais de vinte e cinco países. 

     
"O lixo dos McKinley é de boa qualidade:
comida, jornal, muito plástico e vidro, mas
a polícia não nos deixava ficar com nada, 
porque para eles, nós só estávamos 
procurando um único objeto."
Pag. 35


     A capa é linda!! A diagramação é perfeita!! A tradução é impecável!! Tudo faz os olhos brilharem. O trabalho da Cosac Naify não me surpreende mais, já estou acostumada com a riqueza dos livros deles.

     
"Havia vários garotos sem pai, e muitos que,
como eu, também não tinham mãe. Mas, nesse
caso, você tem tios e tias, ou irmãos mais velhos,
ou primos, sempre alguém para cuidar de você
e oferecer um pedaço de tapete para que você tenha
um espaço para dormir, além de um prato de arroz."
Pag. 24

     
     Ainda tem mais, a diagramação é tão boa que existem páginas com recortes de jornais, o que dá uma tremenda de uma veracidade à trama toda. Dá até pra pensar que é tudo verdade mesmo!!




 


     Acho que te convenci do quanto eu amei a leitura né?? Porque sim, eu amei mesmo!!!

     Livro mais que recomendado para todos!!!





  

9 comentários:

  1. Puxa, eu sabia que já tinha visto ou lido essa história por aí. O filme!!!Não acredito que passou despercebido. Vou procurar ele assim que sair daqui...rs
    Claro que sei que a história contada será bem melhor, mas como não dá pra ler por enquanto(tô quebrada),vamos vendo o filme primeiro.
    Amo trabalhos assim, que tem narrativa diferente...que fazem o leitor se colocar na história e na pele dos personagens!!!!
    Adorei =)
    Beijo

    ResponderExcluir
  2. Como é que eu ainda não conhecia esse livro e também o filme, Lelê? Devo estar vivendo no mundo da Lua. rs
    A premissa é muito boa e acho que iria adorar os personagens. Sem falar que esses recortes de jornal, além de um charme a mais, dão uma baita verossimilhança ao livro. Vou querer ler, com certeza.
    Para variar, mais uma excelente dica. É por isso que passo aqui sempre. *O*

    M&N | Desbrava(dores) de livros - Participe do nosso top comentarista de abril. Você escolhe o livro que quer ganhar!

    ResponderExcluir
  3. Ai, não acredito! Fiquei namorando esse livro no bota-fora da Cosac e não comprei! - Também me arrependi de não ter comprado o David Copperfield.....

    Na verdade eu até sabia que este era o tema do livro, mas não imaginava que fosse estruturado dessa forma, agora fiquei muito curioso. E,sim, os livros da Cosac são caprichados demais!

    dois abraços ;)

    ResponderExcluir
  4. Gente, nem sabia sobre o livro, é a primeira resenha que leio, e uau! Quero muito ler. Parece uma leitura incrível!
    beijos
    www.apenasumvicio.com

    ResponderExcluir
  5. um achado! estou encantada pela história que você contou! super diferente, tem de tudo um pouco e é tão atual para o momento em que vivemos
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Oi Lelê..... tão lindia... adorei a história que você acabou de contar!
    Sério que gracinha....
    de livro... e de história... amo quando a diagramação e todo o trabalham acabam por igualar na história parabénsss mil beijossss

    www.cantodadomino.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  7. Olá Alessandra,

    Não conhecia o livro e nem o autor, achei bem interessante e pela a sua resenha e empolgação vejo que vale muito a leitura, dica anotada....bjs.


    devoradordeletras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  8. Oie!

    Não esperava que este livro tivesse uma história tão interessante, sobre meninos num lixão! Uau, muito diferente de tudo que já li. A trama parece muito boa, os personagens, tudo! E a edição? Linda.

    Caramba, fiquei surpresa com a resenha Lele, agora pretendo ler este livro, com certeza. É o tipo de trama que me atrai, e o cenário então?
    Não sabia que já tinha um filme também!

    Adorei a resenha! Agora é correr atrás do meu exemplar hahaha
    Bjosss

    http://livrosontemhojeesempre.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Olá!!!

    nem sabia sobre o livro, mais já assisti o filme, inclusive é maravilhoso, gostei muito,e ao ler a resenha me surpreendi realmente o livro é fiel à trama.

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
© To Pensando em Ler - 2017 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Jaque Design | Tecnologia do Blogger.
imagem-logo