#Resenha: Como Tatuagem

 

Título: Como Tatuagem

Autor: Walter Tierno

Páginas: 308

Editora: Verus Editora





COMPRE AQUI: BUSCAPÉ,  AMAZON 












     Romance não é meu forte. YA não é minha praia. Conflitos de casais me deixam um pouco perturbada, por isso que digo que quando um livro assim me conquista, é porque ele é bom pra caramba!


"Mas nada disso está acontecendo agora. Não estou na academia. Não estou sobre o tatame. Não estou em pé. É só uma lembrança."


     Em "Como Tatuagem" vamos conhecer o Artur. No início iremos conhecê-lo por sua memória; ele está lembrando de quem ele era, o que ele fazia, como ele vivia.

     Artur faz uma força incrível para continuar na lembrança. Não quer se ver no presente, não aceita o que ele é, o que importa é o que ele foi. 

     Porém, este Artur das lembranças não foi um cara agradável, pelo contrário, era desprezível, mas era quem ele sabia ser. Detestável.

     Este Artur perdeu as pernas em um acidente. Ele é um amputado, e antes de aprender a viver como um amputado, ele deverá aceitar isso, nascer para esta nova vida. E claro, para um cara arrogante como ele, isso não será nada fácil.


"Primeiro o topo da cabeça lateja. Tem alguma coisa comprimindo. Mexo as orelhas, o queixo, o pescoço. Os olhos abrem quando sinto uma fisgada na barriga."


     Também conhecemos aqui a Lúcia, um serumaninho muito especial ♥.

     Lúcia vive com a mãe em um sobradinho bacana no Tatuapé, trabalha como fisioterapeura em uma clínica, tem bons amigos e tudo está muito bem na sua vida. Aparentemente.

     Ela tem vitiligo e ao mesmo tempo que ela parece ser super bem resolvida com isso, ela passa um bom tempo carregando a maquiagem para esconder as manchas.

     Com o tempo fica compreensível o motivo de Lúcia tentar esconder o vitiligo, pois o preconceito que ela sofre não é mole não.

     Como as pessoas são ignorantes!!

     Dá um ódio! Fiquei com muita raiva! Mas Lúcia é forte e nada disso a deixa abalada. Eu fiquei, mas ela levou de boa... bem melhor que eu.

     
"Um devaneio irrelevante. Bobo, até. E, talvez, seja justamente por isso. Tristeza cansa, suga. Lembranças bobas são confortáveis."


     Artur tem dificuldade para aceitar todo tipo de tratamento e sua relação com a família, que já era ruim, agora vem degringolando de vez.

     Nenhum profissional consegue ficar com Artur por muito tempo, e por uma eterna ironia do destino, Lucia acaba indo trabalhar ali. Artur será paciente de Lucia. Ela cuidará da recuperação dele.

     Lucia, com vitiligo e uma tatuagem no pé; Artur, sem as pernas e com uma personalidade terrível.

     Uma mistura perfeita!


"Chuto meu pai. Sinto o pé indo na direção do seu estômago. Mas o pé não alcança. Insisto e, quando olho para minha perna, só vejo um coto balançando no ar, patético."


     À partir daí a trama se desenrola a trancos e barrancos. Claro que não é fácil pra ninguém. Ambos passarão por muitas perdas, algumas dificuldades, e vários momentos para shiparmos muito.

     Quase no final eu fiquei um tanto bolada com essa mocinha. Até me deu um certo ódio dela. Senti que todo o MIMIMI que ela não tinha no início do livro, acabou pegando nela no final. Como se fosse doença de romance YA, obrigatório um MIMIMI, mas não. Essa pequena chatice foi necessária para o crescimento dos personagens.

 
"Foi nessa época que senti aquilo pela primeira vez.Uma sensação gostosa e assustadora que nasce no peito, um tiquinho abaixo do coração, aquece e gela ao mesmo tempo, endurece e amolece, escorre e se fixa por onde passa, no caminho que faz pelo derretimento. Sonhava como seria quando eu derretesse."


     O Walter tem um jeito único de escrever, bem diferente do que eu vejo por aí nos livros do mesmo gênero, e isso foi o maior ponto que me fez curtir a leitura. Com uma narrativa crua e direta, sem rodeios, mas de vez em quando sobre amor, o que gerou inúmeros quotes e frases que completarão vários cartões de dia dos namorados.

     Assim como na vida real, os personagens passam por altos e baixos, perdas e ganhos, e isso os tornaram ainda mais verossímeis.


"A física da pele e dos sabores, que busca lá no fundo um sentimento quente, perigoso e raro. Um sentimento que cai no sangue e se faz presente. Tenho vontade de gritar, e é difícil abafar esse grito."


     Adorei a leitura do começo ao fim. Cada página, cada palavra. Romance do jeito que eu gosto. Sem frescura. Viciante. Mas já aviso que quando a leitura termina, só fica um buraco, um vazio. Vou sentir falta do Artur e da Lucia.

     Se você gosta de romance, Ya, deve ler... e se não gosta, leia também. Eu li e amei!! 














9 comentários:

  1. Ao contrário de você, eu sou apaixonada por livros de romance!! Torço pelos casais, ainda mais quando trazem essa pegada real. De personagens que são levados da rotina da vida para as páginas de um livro.
    Ainda mais com essa mistura de superação, dificuldades...
    Lista de desejados, com certeza!!
    Beijos

    ResponderExcluir
  2. a primeira vez que vi esse livro foi divulgado no seu face, eu me apaixonei pela capa, mas amei a capa e to com o livro na minha lista de master desejados, top5
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Oie, não conhecia esse livro, mas achei a capa muito interessante.
    Achei o tema interessante e o enredo parece que faz meu tipo. Darei uma oportunidade quando for fazer umas comprinhas de livros, rsrs.

    Lu - http://www.leiturasedevaneios.com.br

    ResponderExcluir
  4. Caramba, se você que não curte adorou o livro, então que eu adoro preciso ler urgentemente!!!! rs...
    Valeu pela dica!
    beijos
    Camis - Leitora Compulsiva

    ResponderExcluir
  5. Oi Lelê! Ele tem uma narrativa crua e direta mesmo e por isso acho suas histórias bem mais reais que outras por aí. Dica anotada. Bjos!!!

    ResponderExcluir
  6. Oii Lelê! Que história mais linda! Adorei Lúcia, qro ler pra conhecer mais, uma história mto boa, marcante e tocante ao msm tempo, fiquei curiosa pra conehcer o livro já que vc gostou, tenho ctz q vou gostar tbm!
    Bjs!

    ResponderExcluir
  7. Olá, Lelê.
    Também não sou fã de YA, mas se é você quem está indicando, darei uma chance. Confio plenamente na sua opinião.
    O enredo não é tão original. Duas pessoas com problemas físicos e que se relacionam já não é algo tão incomum. Contudo, a menor quantidade de mimimi e a protagonista bem resolvida são elementos que me agradam.
    Boa dica.

    Desbravador de Mundos - Participe do top comentarista de agosto. Serão dois vencedores e um deles levará um vale compras!

    ResponderExcluir
  8. Oi!
    Adoro suas resenhas, porque você sempre transmite sinceridade, expõe o que realmente pensa, sem mascarar a história. E passa confiabilidade para fazer a leitura. Também não é meu gênero favorito, mas quando é bom, merece ser lido! E apostando nas suas palavras, já adicionei a minha lista. Gostei muito da premissa, fiquei muito curiosa pelo desenrolar desse enredo. Ótima dica. Beijos!

    ResponderExcluir
  9. Gente, que resenha linda <3

    Mas só uma correção, o livro não é YA (uma vez que não é jovem adulto), é romance contemporâneo.

    =)

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...