Resenha: Proibido


Título: Proibido

Autora: Tabitha Suzuma

Páginas: 302

Editora: Valentina




COMPRE AQUI: SUBMARINO,  AMAZON










     Por mais que eu soubesse do que se tratava o livro, foi impossível não me chocar com tudo que li. Estou me sentindo devastada. A leitura foi rápida, mas o livro é tão intenso que parece que estou há dias lendo. É como se a vida dos personagens estivesse me acompanhando por muito tempo... E assim ficará por mais um longo tempo em mim. Eu poderia dizer que essa história me marcou, mas me marcou de um jeito que me sinto verdadeiramente marcada. Na pele, no olhar, em cada fio de cabelo... Tá tudo marcado em mim.









     "Proibido" é narrado em primeira pessoa por dois protagonistas, alternando os capítulos vamos conhecer Lochan, o mais velho de cinco irmãos.

     Lochan é extremamente responsável, cuida de todos os quatro irmãos de uma maneira que pai nenhum cuidaria. Ele é atencioso, carinhoso, amigo, fiel e muito protetor. Porém a dor que ele sente fica guardada. Dor por ter uma mãe ausente, relapsa, maldosa. Ele faz de tudo para suprir todas as necessidades dos irmãos que sua mãe não é capaz de fazer. A mãe se casou grávida dele, e por isso o acusa de ser o responsável por tudo de ruim que acontece tanto com ela quanto com os irmãos. Ou seja, ele tem que pagar por tudo, sempre.

     Em seguida vamos conhecer Maya. Treze meses mais nova que Lochan.

     Maya, mesmo vivendo da mesma maneira que o irmão, consegue ser sociável, ter uma vida fora de casa. Ela não fica se torturando pelos erros de sua mãe. Ela os enfrenta da maneira que acha correto. É também muito cuidadosa e carinhosa com os irmãos. Consegue cuidar dos mais novos com afinco. Educar como muitas mães não conseguem.





     Lochan está prestes a completar dezoito anos; e ainda não conseguiu se interessar por ninguém. Não tem amigos, não tem ninguém. Sua única amiga e companheira é Maya.

     E é quando Maya começa a se mostrar pronta para a vida de uma adolescente normal de sua idade é que Lochan começa a ter sentimentos estranhos, confusos e que podem arruinar a família de vez.





     Terminei de ler há pouco, e mesmo agora escrevendo sobre ele ainda não consegui formular uma ideia concreta sobre tudo. Penso uma coisa, e outra... e outra...

     Por um lado tenho pena de Lochan. Seus traumas eram tão fortes que o levam a ter crises de pânico e fobias que deixam o leitor amedrontado. Mas por outro lado ele não foi capaz de resistir aos seus instintos.
     Se por um lado ele fazia o papel de pai cuidando da casa e da família, por outro não fazia dele o pai. Se por um lado ele não teve o mínimo de orientação, por outro não o impediu de descobrir sozinho. São muitos lados, e no meio temos um personagem que sofre tudo de todas as formas mais horríveis.

     E Maya?
     Maya era mais esperta, porém mais nova. Seu irmão era seu exemplo e seu porto seguro. Acredito que tudo a levou a ser quem era e a fazer o que fez. Mas isso não dá o direito de fazer... É complicado.

     É um mundo que não faz parte do meu, mas mesmo assim é tão real!!






     É o drama mais original que já li com toda a certeza. Nunca li nada parecido. É o tipo de livro que você lê com um nó na garganta, com o peito apertado, com a pulsação acelerada. Dói ler, mas não dá pra parar. E ao mesmo tempo é lindo, puro, sincero, divinamente escrito!!

     A Cida do Moon Ligth Books descreveu de um jeito que eu achei perfeito: Aqui não há alegria.

     E é exatamente assim que eu vejo. Apesar da perfeição, não existe alegria. Só dor. Mas o amor contido em todas as palavras compensa tudo!

     Se é errado ou não, não importa. Temos aqui uma visão completa de uma situação inusitada. Tenho certeza que assim como eu, você que está lendo esta resenha não viveu nada do que está escrito em "Proibido", e como sabemos bem, não se pode julgar sem conhecer todos os detalhes. E mesmo eu que terminei de ler o livro agora, ainda não consigo julgar...

     A autora foi tão perfeita em descrever todos os detalhes da vida de cada um que fica difícil tomar partido. É polêmico!!





     Se a autora queria mexer com seus leitores, com certeza conseguiu!!

     E quanto ao final; não vou dizer que eu esperava isso ou aquilo porque estaria mentindo. Eu não esperava nada. A minha agonia era tão grande que eu só queria que acabasse da melhor maneira possível.
     Quanto ao final que a autora deu, achei justo. Achei correto. Mesmo não concordando, acho que foi certo!!

     Estranho?? Não.

     Um livro que te deixa com sentimentos dúbios em todas as páginas não poderia ser de outra maneira no fim.

     Recomendo que TODOS leiam!! O livro é incrível!! Achei a revisão muito perfeita!! Os diálogos ficaram muito reais com nossas gírias, nosso jeito de falar. Não li em inglês, mas é fácil identificar isso no texto.
     A capa é linda e a diagramação também!!

     Mais do que recomendado! E quando ler me chame pra gente falar sobre. Ainda preciso falar com mais gente sobre tudo que li. Tenho muitos meses ainda pra debater o assunto, rs.

     LEIA!!








Comente, clique e participe:

   

16 comentários:

  1. Estou chocada com a história deste livro. Não sei se suportaria viver o que os personagens passaram. Muito triste e desolador. Ainda não sei se vou amar ler ou se vou chorar ao ler. A autora soube abordar o tema muito bem pelo que vi.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  2. Desde que fiquei sabendo do lançamento deste livro, sabia que vinha "bomba" por aí..e olha...é a segunda ou terceira resenha que leio..e sem nem pestanejar, é a resenha mais intensa, densa...e crua que li até agora. Essa indefinição do que dizer, do que sentir..essa briga de sentimentos dentro do peito..que você conseguiu colocar em cada letra!
    Amei, amei de todo o meu coração e minha vontade em ler esse livro só aumentou. Preciso urgente descobrir qual será minha reação..
    Beijo, beijo

    ResponderExcluir
  3. Esse livro é interessante por vários motivos, mas principalmente pela audácia da autora em explorar algo que ninguém quer encarar. É um tema que causa mal estar mesmo, até porque a maioria de nós não tem noção do que é viver isso.
    Acho que condenar alguém por uma atitude é complicado, até porquê não sabemos o que levou a pessoa a fazer tal coisa. E essa é a magia do livro. A autora conduz o leitor pela história de vida dos personagens, mostra a dor e o sofrimento. No final das contas, é exatamente como você disse, não há alegria, independentemente de estarem certos ou errados.
    bjs

    ResponderExcluir
  4. Olá, Lelê. Você fez a resenha mais completa desse livro, pelo menos entre as resenhas que já li. E confesso que, apesar de fugir minha área de conforto, o livro me interessou bastante.
    Acredito que a autora tenha conseguido explorar bastante os traumas e sofrimentos dos personagens, mostrando como algumas coisas podem mudar nossas vidas para sempre.
    Estou mesmo com ótimas expectativas quanto ao livro.

    M&N | Desbrava(dores) de livros - Participe do nosso top comentarista de novembro

    ResponderExcluir
  5. Lelê, que a Black Friday seja generosa e eu traga esse livro pra casa! Admiro muito a linha editorial da Valentina, o capricho que eles tem com suas publicações é incrível. Esse livro então... que tema espinhoso, não! Vivemos em uma sociedade majoritariamente cristã, que condena esse tipo de coisa com muita veemência, então ver uma autora tratar disso sem receios de ser criticada é muito bom, admiro essa coragem. E fico imaginando como é a experiência de leitura, o "se colocar no lugar", com certeza é uma experiência tensa!

    Resenha incrível, me deu ainda mais vontade de ler.

    Dois abraços!

    ResponderExcluir
  6. Nossa estou doida pra ler esse livro, curto muito um drama, temas polêmicos e tabus, história super intensa e emocionante, cada resenha que leio desse livro me deixa ainda mais ansiosa pra conferi isso tudo.

    ResponderExcluir
  7. Realmente Lelê, não é fácil nem imaginar tudo que a trama passa. Julgamentos nem cabem aqui. A história parece realmente impactante por toda conduta maior ir conta os ensinamentos cristãos a que somos, querendo ou não, inseridos.Como o rapaz acima disse, a autora foi muito corajosa ao tratar do tema.
    Assim como eu, Jaime e Cersei Laninster curtiram essa postagem, mas por motivos diferentes.

    Saudações,
    Ace Barros
    Capitão do drakkar Interlúdio, navegando pelo Multiverso X
    multiversox.com.br

    ResponderExcluir
  8. oi Lê!
    este com certeza deve ser um livro dificil de resenhar, afinal são tantos sentimentos misturados, pois o enredo é tão novo, tão diferente!
    Tabitha traz um tabu para ser debatido de uma forma tão sofrida, tão humana, tão sem palavras para explicar que só evidenciam seu sucesso
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Gentem, digo, Lê.
    Chocado estou eu com essa sua resenha, isso sim. Que começo foi aquele? E sua narrativa (Ótima, por sinal), então... OMH!
    Não sei se teria coragem de ler o livro, sofro fácil. Mas... Veremos.

    Beijos
    http://garotodelinhas.blogspot.com

    ResponderExcluir
  10. Deve ser um livro pesado e cansativo, pelo que vc citou ate fiquei preocupada, pois não é uma leitura que me agrada ; pois eu gosto de livro tranquilos e suaves. faceis de ler

    ResponderExcluir
  11. Oi Lele! É um livro intenso e marcante, e não há alegria mesmo. Sabe, se alguém me contasse a história superficialmente eu condenaria, mas conhecendo os detalhes mais profundos eu não consigo, é algo que não aceito, mas com Lochie e Maya foi inevitável e compreensível. Bela resenha,

    Bjos!! Cida
    Moonlight Books

    ResponderExcluir
  12. É exatamente como você disse, é complicado e muuuuuito polêmico... Não chego nem perto de passar por uma situação parecida, mas ainda assim não deixa de ser "estranho" ler uma história com esse tipo de envolvimento... É de certa forma um livro para chocar o leitor... Também não sei qual foi a intenção da autora, mas sem duvidas ela criou uma discussão muito grande acerca do tema... Não sei se eu daria conta de ler esse livro...
    Kisses =*

    ResponderExcluir
  13. Oi Lele!!

    Preciso dizer que amei sua resenha! Estou louca por este livro, mas ainda com medo e não me sinto preparada pra ler! Acredito que seja uma temática bem pesada, e um drama que mexe muito com a gente como você mesma disse, mas é um livro que eu preciso ler, não abro mão!
    Espero que eu aceite tudo o que ocorre no livro e não fique tão mal, não costumo me afetar ao extremo e nem julgar, mas uma amiga ficou devastada e não gostou. Isso não me afasta da vontade e curiosidade pra ler!

    Resenhas como a sua nos encorajam!!

    Beijos!!

    http://livrosontemhojeesempre.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  14. Quero ler esse livro desde quando soube do sucesso dele lá fora e fui atrás de saber do que se tratava. É um assunto tenso e complicado, muita gente julgando o livro como 8 ou 80 o que me da mais vontade de ler ainda. Esse ano acho que não rola, mas no ano que vem certeza!

    Bjs, @dnisin
    www.seja-cult.com

    ResponderExcluir
  15. A cada resenha que leio desse livro, mais curiosidade e vontade de ler eu tenho.

    E pra completar consegui trocar ele no Skood e já tá chegando!!!

    To ansiosa! :)

    Um abraço

    ResponderExcluir
  16. Posso dizer que tive meu coração dilacerado por esse amor “PROIBIDO”. Como uma coisa tão errada pode parecer tão certa? Como você pode torcer a cada página para que dois irmãos sejam felizes para sempre como um casal?
    Tenho certeza que jamais vou me esquecer da história dessa família. Tabitha Suzuma entrou para a minha lista de escritoras favoritas. Escreveu esse livro com tamanha maestria, sensibilidade e inspiração que me vi derramando lágrimas e olhando para o horizonte refletindo... será que se isso acontecesse dentro da minha família eu teria a mesma visão que tenho após ler o livro?
    Certamente não é um livro para qualquer pessoa, mas é uma lição de vida para qualquer ser humano que acha que tem uma opinião formada sobre toda e qualquer situação.
    Estou de ressaca literária e peço perdão por não conseguir resenhar o livro como deveria, mas o vazio aqui no coração é grande e sei que vou levar essa história de amor comigo para sempre.
    Só posso agradecer à Suzuma por me ensinar mesmo que indiretamente que não existe certo ou errado, mas sim a sua história de vida, a minha e a deles. E que não devemos julgar aquilo que não conhecemos e sentimos.
    “Você pode fechar os olhos para as coisas que não quer ver, mas não pode fechar o coração para as coisas que não quer sentir”

    Beijos!
    Viviane Gonçalves
    vsg_caue@hotmail.com

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...