Divulgação: Tordesilhas



Alex Gilvarry, escritor apontado pela crítica americana como uma das vozes mais promissoras da sua geração.

Nada Além da Verdade conta a história de Boy Hernandez, um jovem estilista filipino que parte para Nova York em busca de realização profissional. Seu relacionamento com Ahmed, um “vendedor de tecidos”, acaba por colocá-lo na lista de suspeitos da Guerra ao Terror. No meio da noite, sem processo nem explicações, Boy é levado para a base militar de Guantánamo como prisioneiro.
O tom satírico e bem-humorado, que permeia todo o livro, aos poucos se mescla com o horror, quando Boy, o novo queridinho das passarelas, é interrogado, humilhado e exposto às arbitrariedades kafkianas da política dos Estados Unidos.
“O leitor irá sorrir com o brio da linguagem de Gilvarry, digno de [Saul] Bellow.” – The New York Times



Com Nada além da verdade, o Tordesilhas publica no Brasil uma das mais promissoras vozes da nova geração de escritores americanos

Comparado ao escritor Saul Bellow pelo jornal The New York Times, Alex Gilvarry surpreende a crítica americana em romance de estreia pelo apurado domínio da técnica literária.


Lançado em fevereiro de 2012 nos Estados Unidos, Nada além da verdade, de Alex Gilvarry, foi recebido com enorme entusiasmo pela crítica daquele país, que viu no jovem autor estreante uma promessa de conquistas literárias cada vez maiores. Respaldado por anos de pesquisa sobre o mundo da moda e em sua vivência pessoal da Era Bush, Gilvarry conta a história do estilista filipino Boyet Hernandez, que parte para Nova York em busca de realização profissional. O relacionamento de Boy, como passa a ser conhecido no cenário nova-iorquino da moda, com Ahmed, um “vendedor de tecidos”, acaba por colocá-lo na lista de suspeitos da Guerra ao Terror. Sem processo nem explicações, um dia Boy é levado para a base de Guantánamo e submetido a tratamento brutal, que ignora as convenções internacionais de direitos humanos.
O tom satírico e bem-humorado com que o livro começa aos poucos vai cedendo espaço para o horror, quando Boy, o novo queridinho das passarelas, é interrogado, humilhado e apresentado à brutalidade do Estado. Sozinho em sua cela, Boy ganha papel e caneta e para escrever suas “confissões”. Alternando-se entre cenas na prisão de Guantánamo – ou Terra de Ninguém, como ele a chama –, e a história de sua ascensão como estilista profissional, Nada além da verdade estabelece paralelos entre a maneira como mitificamos as celebridades e o modo como encaramos os terroristas, ao mesmo tempo em que compõe um retrato profundo da paranoia que assola os Estados Unidos.
Mas esta é também uma declaração de amor ao país – “Este grande sacana”–, que transparece na maneira afetuosa como Gilvarry descreve a cidade de Nova York. Quanto mais a fé de Boy no sistema judiciário americano é usurpada pelas exigências kafkianas de seu interrogador, mais ele se agarra à esperança quimérica e à humanidade de seus país adotivo.
Engraçado e inteligente, Nada além da verdade é tão arrebatador que está destinado a permanecer na imaginação do leitor e no panteão literário destes tempos estranhos.

O AUTOR
Alex Gilvarry nasceu em Staten Island, Nova York.É fundador e editor do site Tontenville Review, dedicado à literatura. Seu romance de estreia, Nada além da verdade, exibe apurado domínio estilístico e aborda questões delicadas da sociedade contemporânea

A CRÍTICA
“O leitor irá sorrir com o brio da linguagem de Gilvarry, digno de [Saul] Bellow.” – The New York Times
“Hilário.” – Boston Globe
“Nada além da verdade precisa entrar na sua lista de livros.” – Glamour
“É raro que um livro seja tão destemido no campo político e mantenha seu caráter cômico e humano. Gilvarry é um jovem talento em ascensão.” – Gary Shteyngart, autor de Absurdistan
“A inteligência mais profunda é sempre poética, incisiva e extremamente engraçada. Preste atenção, pessoal. Alex Gilvarry está na área.” – Colum McCann, escritor
“Uma das melhores ovações e um dos melhores ataques aos Estados Unidos desde quando Saul Bellow era quem cuidava das ovações e dos ataques.” – Brock Clark, escritor
“Finalmente um jovem escritor americano tem peito para encarar o absurdo da última década.” – Michael Hastings
“Um escritor talentoso e observador.” – Kirkus
“Cativante.” - Vogue

6 comentários:

  1. Parece ser um livro bem forte, não sei se eu leria, mas parece ser bom, muito bom!

    beijos, Lu
    Lendo ao Luar

    ResponderExcluir
  2. Gostei da historia, mas eu leria e nao leria rsrs, mas quem sabe eu nao me surpreenda!!

    ResponderExcluir
  3. Olá!
    Eu não sei se leria o livro, sinceramente, tem TANTA coisa aqui pra ler que eu não sei se consigo dar alguma chance pra estilos que eu não gosto tanto.
    Beijos

    Andressa
    http://umdiaacadalivro.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Acho que esse é um tipo de leitura mais indicado pra quem gosta de politica e história atual, porque mesmo existindo uma trama envolvente devido a história de luta do estilista parece-me que o livro é muito crítico e com um contexto bem radical, esse foi meu ponto de vista analisando o conteúdo do post.
    Eu leria sim esse livro porque gosto desse tipo de leitura, mas confesso as vezes pode ser bem entediante.

    ResponderExcluir
  5. Esse livro me parece bem interessante, forte e marcante. Gostei. Vou ler.

    ResponderExcluir
  6. É o tipo de leitura que não procuro no momento. Até que essa abordagem em relação ao terrorismo é interessante, mas não pretendo lê-lo.

    Não conhecia o livro e nem o autor.

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...