Resenha: Xerazade, a Onça e o Saci


Título: Xerazade, a Onça e o Saci

Autor: Tiago de Melo Andrade

Ilustrações: Eduardo Ver

Páginas: 75

Editora: Edelbra



COMPRE AQUI: FNAC,  SARAIVA,  BUSCAPÉ








     Eu adorei este livro por vários motivos.

     Primeira coisa é a beleza do livro. A Edelbra faz um trabalho incrível nas suas obras, e a cada livro que leio fico mais apaixonada. Um livro lindo de se ver. E quando a história é boa, aí o livro ganha meu coração!

     E a história desse livro é boa demais!!! "As Mil e Uma Noites" totalmente abrasileirada. Com nosso folclore, nossa língua, nossa riqueza de palavras!!






" - Vou me casar toda tarde, Bibi! Vamos
precisar de muitas mulheres!
- O coronel podia explicar melhor?
- Preste atenção, miolo mole! Vou 
explicar uma vez: eu caso, tenho as núpcias,
mato a noiva e, no dia seguinte, caso
com outra. Assim, não serei traído
nunca mais. A cada dia terei uma esposa nova.
Lajota ficou mudo; primeiro porque custou a 
entender e, depois, porque entendeu."
Pag. 29


     Tudo aconteceu num lugar chamado Sertãozinho Velho. Os irmãos Jarbas e Jairo, ambos casados com suas raparigas afoitas por amor não tiveram dó de colocar galhos nas cabeças dos maridos.

     E assim um irmão contou pro outro que ele não era o único chifrudo da cidade. Depois de comprovados os respectivos chifres, os dois resolveram que seria melhor largar as mulheres e seguir seus caminhos pelo mundo, os dois juntos e nunca mais se casarem.

     Mas logo depois deram de cara com uma onça dormindo e uma moça acordada. A onça era um demônio e a mulher sua noiva. 

     Pois num é que essa noiva resolveu que queria pôr chifres no demônio e usou os irmãos pra isso?? Pois é. E foi aí que Jairo teve a brilhante ideia de matar sua esposa e se casar todos os dias com uma nova moça da cidade, e todos os dias ele a mataria. E assim ele evitaria novos chifres.

     Jarbas também matou sua esposa, mas preferiu ficar sozinho mesmo. Dá menos trabalho.


" - Se é assim, eu digo, coberto de vergonha.
Eu fui traído. Minha mulher, Dália, se deitou
com mais outro cabra, meu irmão!"
Pag. 20


     Depois de um tempo e de muitas moças mortas, a filha do empregado de Jair se ofereceu para ser a esposa. Pediu a ajuda de sua irmã para seu plano. Dinazade deveria vir depois das núpcias e pedir que a irmã lhe contasse uma história. E assim fez Xerazade, deixando o final da história para o dia seguinte. 

     O coronel, curioso como ele só, achou melhor não matar a esposa naquele dia e ouvir mais um pouco da história da esposa. E assim ele fez.

     E na noite seguinte, e na seguinte...

     Xerazade ia contando e nunca terminava, e deixava o coronel mais e mais curioso. 


"Contudo, certa feita, a onça pegou um
menino de treze anos que pescava na beira
dum córrego, restando para o enterro 
apenas as botas, o chapéu e a vara
espetada no barranco."
Pag. 8


     E enquanto Xerazade vai contando, a gente vai acompanhando uma história rica do nosso folclore, várias lendas. Temos aí o saci, as maldições e os feitiços, a Iara, a ganância e a inveja... É tão divertida e tão encantadora!!!

     E assim "As Mil e Uma Noites" viraram "Xerazade, a Onça e o Saci", pintados de verde e amarelo e com o sotaque mais gostoso que já se ouviu. 

     Livro pra se ler em um dia, recomendado pra qualquer idade. Livro lindo de se ter na estante e de se ler!!

     Recomendadíssimo para os brasileiros e também turistas!!!!









   







Comente, clique e concorra:




15 comentários

  1. Sozinho dá menos trabalho.rsrsrs
    Adorei!!!!!
    Não conhecia o livro e a princípio achei que fosse um livro juvenil, mas lendo a resenha me encantei com o que li. História curtinha, mas que com certeza, traz risadas e uma viagem por nosso folclore!!!!
    Quero ler, ah se quero!
    Beijo

    ResponderExcluir
  2. oi Lê, não sei se foi proposital mas até a resenha seguiu esse padrão na forma de contar os fatos, mais sotaqueado, se assim posso falar e aos poucos fui me encantando!
    espero gostar

    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Lelê, me apaixonei, de verdade. Sou um amante da nossa cultura e só de ter uma oportunidade de ler algo tão brasileiro eu já surto. rs
    Com certeza quero ler essa história maravilhosa e ainda mais com esse trabalho gráfico. Já está entre os desejadíssimos!

    M&N | Desbrava(dores) de livros - Participe do nosso top comentarista de fevereiro. Você escolhe o livro que quer ganhar!

    ResponderExcluir
  4. Lelê, os livros da Edelbra são bem caprichados mesmo não? e esse ainda é carregado de brasilidade, de aspectos que normalmente nós, leitores,deixamos de lado para corrermos em busca de tradições estrangeiras. Deu vontade de ler ;)

    Dois abraços!

    ResponderExcluir
  5. Que gracinha!!!! adorei Lele, mais um pra interminável lista de desejados hihi

    ResponderExcluir
  6. Oi Lê!
    Menina, a Edelbra se supera em cada livro. Esse eu não li, mas já vi e achei a coisa mais linda. <3 Queria que todas as editoras seguissem o exemplo deles, as edições são muito caprichadas e os livros são um deleite aos olhos. <3
    A resenha ficou muito fofa, só consigo pensar nos meus alunos lendo, certeza que irão adorar!
    Beijocas
    Coisas de Meninas

    ResponderExcluir
  7. Olá Alessandra,

    Não conhecia esse livro, achei bem interessante e original, parece muito divertido também, ótima resenha e dica....abraço.


    devoradordeletras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  8. Olá!
    Lindo livro! A capa ficou super bem-feita e a história parece ser muito boa. Vou pesquisar mais sobre ele, Gostei desta indicação, pois acho perfeitamente, que pode ser uma leitura para todas as idades.Adoro livros com ilustrações, principalmente se o enredo for baseado no rico mundo do folclore e fantasia.

    ResponderExcluir
  9. Oiiiiii
    bom dia!
    Que livro lindinho..... deu vontade mesmo de ler...
    Parabéns pela resenha... bjocas enomers

    www.cantodadomino.blogpost.com.br

    ResponderExcluir
  10. Oi Lê! Fiquei com muita vontade de ler esse livro porque eu gosto muito do "As mil e uma noites" e das histórias do folclore brasileiro. Essa capa é linda e pelo que você mostrou por dentro, parece ser também. Amo livros com capas e diagramção bonitas. E sempre preferi livros com ilustrações, kk. Vou participar do sorteio, com certeza ^^

    http://danysbooks.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  11. O livro é realmente lindo Lele, toda essa ambientação brasileiríssima e o trabalho gráfico para assemelhar-se ao Cordel (e fizeram isso muito bem.) Parece ser um trabalho muito bacana em todo o conjunto da obra, vale a pena conferir!

    Saudações,
    Ace Barros
    Capitão do drakkar Interlúdio, navegando pelo Multiverso X
    multiversox.com.br

    ResponderExcluir
  12. Olá Lelê! Gostei demais da sua resenha. Você diz bem quando fala que a história desse livro é totalmente abrasileirada. O folclore é a alma de um povo, e o nosso é rico em sua essência. A capa do livro é bonita e chama atenção. Lembra os livros de cordel. Com certeza é um livro que vale a pena ler!

    ResponderExcluir
  13. Lele!
    Muito bom quando uma editora se preocupa com a qualidade da edição.
    Deve ser lindo mesmo o livro contando a história das 1001 noites, adaptada para o folclore brasileiro.
    Nossa! Quantas mulheres mortas...Eita coronelzinho danado!!
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  14. Não em recordo de ter lido algum livro dessa editora, e de fato eles investem pesado na diagramação fica linda o resultado final. Gostei da trama parece ser boa o lance do folclore e tal, espero ler em breve.

    ResponderExcluir
  15. Que capa linda! Legal transformar um clássico da literatura mundial numa história brasileira. Obrigada pela dica!

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...