Resenha: As Cavernas de Aço


Título: As Cavernas de Aço

Autor: Isaac Asimov

Páginas: 300

Editora: Aleph



COMPRE AQUI:  BUSCAPÉ











     A mistura perfeita de três gêneros literários dos bons!!

     Em "As Cavernas de Aço" de Isaac Asimov temos ficção científica, distopia e thriller policial. Quer mais o que pra ficar bom??


" - A separação entre humano e robô talvez
não seja tão significante quanto a divisão
entre inteligência e falta de inteligência."
Pag. 60



     A Nova York criada pelo autor é bem diferente da que conhecemos hoje. Tudo sofreu mudanças drásticas. Muitas dessas mudanças foram causadas pelo excesso de pessoas na terra; uma verdadeira superpopulação. Por isso foram criadas cidades de aço. Isso acontece tanto na Terra, quanto em outros planetas. Aliás, a Terra nada mais é que só mais um planeta. 

     Os humanos criaram os robôs, mas com o tempo eles não aceitaram mais os robôs. Meio maluco, mas é assim mesmo. E é assim que somos hoje em dia. Com isso o autor mostra o descaso e o preconceito. Os humanos simplesmente não suportam mais a presença dos robôs (que eles mesmo criaram) no dia a dia.

     
" - É desagradável, Comissário. Ele me avisa que
você quer falar comigo e fica lá. Sabe o que eu 
quero dizer. Preciso mandá-lo embora, se não
ele continua lá."
Pag. 23


     As leis são bem diferentes das que conhecemos. Por exemplo: A comida é igual para todos. Quase como uma ração. Ter um banheiro em casa é para quem tem alto status nesta sociedade. Todos em sua maioria usam banheiros comunitários. Tudo é compartilhado e racionado. 

     Carne é algo para poucos. E todos comem no mesmo dia. Artigo de luxo. 

   
"Jessie vasculhou a bolsa em busca do que precisava.
(Se havia uma coisa que tinha resistido ao
progresso tecnológico desde os tempo 
Medievai, dissera Baley certa vez de forma
solene, era a bolsa de uma mulher. Nem a 
substituição do fecho magnético pelos fechos
de metal obteve êxito.)"
Pag. 225


     Portanto tudo fica assim meio em cima do muro. Até o dia em que um roboticista é assassinado causando tumulto entre os mundos. Não existia um suspeito, mas todos suspeitavam de que o assassino era um terráqueo.

     É então que vamos conhecer melhor o investigador Elijah Baley, mais conhecido como  Lije Baley. 
  
     Lije foi convocado para o caso antes que uma revolta acontecesse. E denominaram R. Daneel para ser seu parceiro.

     Até aí tudo bem, só que Daneel não é um parceiro comum, Daneel é um robô criado a imagem e semelhança de seu criador.


"Nenhum robô, de qualquer tipo, poderia ferir um 
ser humano. Esta era a Primeira Lei da Robótica."
Pag. 109


     O livro é no mínimo genial!!

     Além de misturar três gêneros literários, ainda tem muita coisa escrita nas entrelinhas que se você não ficar atento passam despercebidas.

     Pra começar vamos falar dos nomes dos personagens; Elijah, Jessie e Daneel. Elijah vem de Elias; Jessie vem de Jezebel e Daneel vem de Daniel. Todos nomes bíblicos. Além disso, várias são as citações que levam o leitor à lembrar de passagens da Bíblia.

     Não se preocupem, o autor em nenhum momento denigre a Bíblia, mas não dá pra negar que nos faz pensar... Por isso eu digo que é GENIAL!!

     Não é um livro que você passa o olho e lê, ele exige atenção, pausa, reflexão. Apesar de ser um livro curto, não foi uma leitura rápida. Li com calma aproveitando cada palavra. E não me arrependi disso.

     Ele foi escrito na década de 50. Muitas coisas que o autor visualizou para serem vividas após o fim do mundo, podemos encontrar nos dias de hoje. Por exemplo a quantidade de pessoas no mundo. Isso foi o que mais me impressionou. Além de outras coisas, como comunicadores e etc...


"Era fácil ser um Medievalista quando isso
significava recordar uma época em que a 
Terra era o mundo, e não apenas um dos
50 mundos."
Pag. 38


     E gente!! As últimas três frases do livro são de pirar!! Redenção total!! Li a última página com um sorriso matreiro no rosto. É muito bom!!! Óbvio que não vou dizer, mas é que é tão bom, tão legal... tão, tão... incrível!!

     Definitivamente não é à toa que é um clássico amado por todos os amantes de ficção científica. Só lendo pra entender mesmo.

     E eu que sou uma mera e reles admiradora, garanto que é maravilhoso!!! Adorei!!!

     Sem contar a edição da Editora Aleph. Capa metalizada, diagramação lindíssima, folhas levemente amareladas, fonte com um tamanho agradável e margens largas. Revisão e tradução ótimas. Mais uma vez eu me rendo ao trabalho da editora. Sempre impecável!!

     Recomendo para os amantes de ficção científica e para quem gosta de livros policiais. Não irão se arrepender de maneira nenhuma.



     
     





Comente, clique e participe:


12 comentários

  1. Ficção nunca foi um gênero que eu curtisse,mas admito que li a resenha com um brilho nos olhos..fiquei imaginando e criando as cenas na minha cabeça..rs os robôs, humanos, conflitos...e o racionamento. e ainda de quebra, um suspense no meio disto tudo.
    Me interessei muito pela história e mesmo contrariando meu gosto, pretendo ler.
    É quase como uma previsão do que realmente iria acontecer..rs
    Beijo

    ResponderExcluir
  2. Bom dia!
    Achei legal a proposta do livro. Diferente e até certo ponto polêmico. Pois nós estamos caminhando pra isso mesmo: superpopulação. E esse negócio de estruturas de aço como cidades e moradias... é demais. Um pouco fria, mas genial. Fiquei bastante curiosa e gostaria muito de ler e saber mais sobre o assunto. Beijos.

    ResponderExcluir
  3. Caramba, Lelê! Resenha de um livro do Asimov é pegar pesado, rsrs, não tem como não se sentir tentado a ler! Este livro está na minha lista desde o lançamento, sou muito fã do autor, no ramo da ficção científica ele é dos meus preferidos, com certeza, e do que já li dele - muito menos do que eu gostaria, por sinal - gostei de tudo,e a gente sai mesmo com essa sensação de que leu algo que está muito acima da média.

    Não sei se já leu, mas também é muito bom o "O Cair da Noite", mas está fora de catálogo, quem sabe a Aleph não nos brinda com mais esse???

    Resenha sensacional ;) Dois abraços!

    http://www.pontolivro.com

    ResponderExcluir
  4. Oi Lelê. Adorei a resenha. Achei parecido com a história do Eu, Robô! (o filme, pois o livro ainda não li... :P) Têm alguma coisa a ver mesmo? Ou sou só eu perdida? kkkk Como sempre a sua resenha me deixou ansiosa por essa leitura. Amooooo. :D Bjoks da Gica.

    umaleitoraaquariana.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Eu estava lendo sobre esse livro ontem no Skoob e coloquei-o entre os meus desejados. Agora, depois dessa sua resenha apaixonada, como não querer? Parar falar a verdade, eu quero ler tudo desse autor. rs
    Ah, da Aleph eu nem falo nada. Eu estou vivendo um caso de amor com a editora. rs

    M&N | Desbrava(dores) de livros - Participe do nosso top comentarista de setembro

    ResponderExcluir
  6. não foi um livro que me chamou a atenção, o gênero e o enredo não me conquistaram!
    infelizmente, não é o tipo de leitura que mais me atrai, caso eu lesse sei que seria meio empacada
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Nossa ficção científica, distopia e thriller policial, o livro parece ser ótimo, curto muito esses três gêneros, fiquei bastante interessada em ler.

    ResponderExcluir
  8. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  9. Ainda fico espantado com o tanto de gente que se deixa levar por gênero quando isso é algo totalmente discutível. Muitas vezes o que chamamos gênero é apenas a ambientação da trama. É o caso da maioria das distopias, em que a distopia serve apenas de cenário para um drama, um livro de aventura e coisa e tal. Mas vamos deixar isso pra depois pq dá um bate papo longo. XD
    Asimov era um gênio, e disso não se há duvida Lele. Em seus sonhos esse homem devia ser capaz de ir aos mais longínquos universos para ser capaz de criar obras tão bacanas e conceitos que não era nem minimamente tão explorados em sua época.

    Ace Barros
    Capitão do drakkar Interlúdio, navegando pelo Multiverso X
    multiversox.com.br

    ResponderExcluir
  10. Nunca li nada dele, mas tenho muita vontade de ler a trilogia da Fundação.
    Espero ler em breve!

    beijinhos
    www.serleitora.com.br

    ResponderExcluir
  11. Oi Lele tudo bem??

    Eu acredito que vou amar os livros dele e estou LOUCA pra ler algo deste autor, socorro!!!

    Sua resenha só me deixou mais louca ainda, confesso! Preciso comprar logo! HAHAHA

    Adorei a resenha Lele!

    Beijo!!

    http://livrosontemhojeesempre.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Esse foi um dos primeiros livros da Aleph e do gênero ficção cientifica que li e adorei também. Estranhei um pouco, porque não era o que tava acostumada, mas peguei o ritmo de leitura logo e depois tudo fluiu legal. Quero ler o segundo que já saiu.

    Bjs, @dnisin
    www.seja-cult.com

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...