Mimimi e samba no pé

O assunto hoje será um pouco diferente do que vocês estão acostumados, mas é muito do que estão vendo por aí.

Acabamos de passar por mais um carnaval, igual a todos os outros, mas com um presidente novo que acha que tudo que acontece é por conta dele, ou do Lula, ou da esquerda... o do que eu nem consigo imaginar.

A última que tenho visto é que ESSE ANO as agremiações resolveram "lacrar" com temas políticos.

Vou contar uma coisa, isso não é novidade!!!! Desde sempre se faz isso! Quer ver só?




   O QUILOMBO DOS PALMARES
Salgueiro - 1960

Pela primeira vez a Resistência a escravidão foi retratada na Avenida. E isso chocou muito todos que estavam ali, pois a escravidão era um assunto tabu. 
Foi tão "pesado" esse desfile que a Salgueiro ganhou o campeonato, mas os jurados tentaram dar o prêmio para a Portela. Mas a pressão popular foi tão grande que tiveram que dividir o prêmio entre as cinco primeiras escolas. Melhor uma fatia da pizza do que nada. 







 Iemanjá na Império Serrano e na São Clemente - 1966


Outro assunto tabu eram as religiões africanas. Falar de um orixá era coisa pra gente corajosa... e foi isso que essas duas escolas fizeram. 















  

   HERÓIS DA LIBERDADE
Império Serrano - 1969

Em 1967 o Salgueiro já teve seus ensaios assistidos por policiais do DOPS, pois levar temas contra o regime era altamente proibido, e passível de tortura nos porões do mesmo.

Mesmo assim a Império não teve medo e levou pra avenida os "Heróis da Liberdade", que teve trechos da letra do samba alterados e acabou virando música de protesto na sua época.






RATOS E URUBUS, LARGUEM MINHA FANTASIA
Beija Flor - 1989


A situação política e financeira do país estava uma verdadeira desgraça. Joãozinho Trinta então trouxe uma escola sem luxo nenhum, alas inteiras vestidas de mendigos retratando a miséria que assolava o povo brasileiro. A arquidiocese proibiu a entrada do Cristo, mas o carnavalesco levou pra avenida assim mesmo, coberto por sacos pretos e com a mensagem que ficou pra sempre na memória. Não ganhou o título, mas ninguém lembra da campeã, só desse desfile da Beija Flor, portanto, um desfile icônico!







     

BETINHO
Império Serrano - 1996


Lembro como se fosse ontem o momento que minha mãe me disse que Betinho havia morrido. 
Foi um momento muito triste em casa. Era como se fosse alguém próximo de nós... 


Betinho foi um homem que passou sua vida lutando pelos direitos dos mais necessitados e contra a fome que matava muita gente. A política de FHC não colaborava e as leis trabalhistas não davam trégua. Levar Betinho para a Avenida foi uma afronta para os parlamentares da época. Ainda bem que não existia Twitter, senão seria uma palhaçada só.




   

XINGU - O CLAMOR VEM DA FLORESTA
Imperatriz Leopoldinense - 2017


Essa imagem já diz muito sobre esse desfile. Ficou na minha memória!! 

O protesto contra a matança dos verdadeiros donos dessa terra. O massacre que viveram no passado e ainda vivem por pessoas inescrupulosas. As demarcações estúpidas e mesquinhas... É muita maldade que eles viveram e ainda vivem. Lembrando que antes mesmo dos portugueses invadirem uma terra que não era deles, aqui já viviam uma população de índios que ocupavam o país inteiro!! Tinham suas crenças e seus costumes. Estavam em paz, até que aqueles demônios chegaram com a desculpa civilizar, mas que não passavam de ladrões e assassinos. 



   

  MEU DEUS, MEU DEUS. ESTÁ EXTINTA A ESCRAVIDÃO:
Paraíso da Tuiutí - 2018


A escola trouxe a escravidão e seus efeitos permanentes. 

E claro, o Vampirão néo-liberalista, mais conhecido como Michel Temer, que de acordo com a Tuiutí, era o responsável pelos escravos modernos de 2018.




Os Manifestoches fizeram parte do mesmo desfile e quase derrubaram a internet... Quem bateu panela ficou pistola, quem viu o desfile riu até dar câimbra na boca.

Enfim, babado e confusão pra todo mundo!!

Mas acabou o carnaval e todo mundo esqueceu disso tudo muito rápido!











    COM DINHEIRO, OU SEM DINHEIRO, EU BRINCO O CARNAVAL
Mangueira - 2018


Pois é, ano passado foi um ano cheio de protestos pela Sapucaí. Teve Salgueiro, Tuiutí, Mangueira... Mas mesmo assim tem gente que insiste em dizer que é novidade. 

Crivella teve seu totem pendurado num carro, Ainda teve um Cristo coberto por sacos pretos (propositalmente) lembrando o da Beija-Flor que falei aí em cima, com a mesma frase daquela imagem, mas com um trecho a mais que dizia "O PREFEITO NÃO SABE O QUE FAZ". 





Então, carnaval é sim um momento de protesto. É a hora que o povo pode reclamar e mostrar que existe e não está feliz. 

Antes de sair por aí falando o que não sabe, dê um google, é o mínimo. Assim evitam de passar vergonha na internet. Isso a gente deixa pros parlamentares, eles é que tem experiência nisso!!



E não me venham dizer que o blog é só pra falar de livro. Cultura está em todos os lugares!! Basta querer vê-la. 










Fonte: Hypeness

2 comentários

  1. A justiça foi feita! Mesmo não sendo fã de carnaval, pude ao menos depois de tudo passar, acompanhar quais foram os recados que as escolas campeãs mandaram ao tal "presidente" e seu governo que não governam nem a si mesmos.
    A Mangueira gritou na avenida e com isso, mostrou que ainda há esperança no meio do caos.
    Estamos lascados? Sim! Mas que mais e mais gritos aconteçam e oh, que se arrependam amargamente.
    Adorei o post!
    Beijo

    ResponderExcluir
  2. Adorei!
    E vem mais protestos aí.

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Topo