Resenha: A Ira de Nasi



Título: A Ira de Nasi

Autor: Mauro Beting e Alexandre Petillo

Páginas: 316

Editora: Belas Letras

Compre aqui:  SARAIVACULTURA
















     Li poucas biografias, na verdade só li de pessoas que admiro muito. Claro que quando a editora Belas Letras anunciou o lançamento do livro A Ira de Nasi eu quase surtei.
     O Ira! fez parte da minha adolescencia e faz parte da minha vida. Não vou negar que sou extremamente apaixonada por Nasi, o meu querido Wolverine Valadão.
     Aos onze anos fui apresentada ao LP do Ira! e a música Núcleo Base, foi amor a primeira vista, desde então comecei a acompanhar a carreira da banda. Cheguei a pedir para minha mãe assinar a revista Bizz para que eu pudesse saber mais (lembrando que na época não tinha internet, e pra saber de qualquer coisa sobre música, tinha que ser por revista). Eu achava que sabia. Lendo este livro eu descobri muito mais.

     Marcos nasceu no Bexiga, um bairro tradicional daqui de São Paulo. Cresceu, e virou um garotinho bem valentão, mas logo cedo descobriu seu dom para a música.
     Calma gente! Não vou entrar em muitos detalhes para não perder a graça da leitura!
     Na escola ele conheceu Edgar, que já tocava muito e também escrevia letras de música.
     Nesta época, devido a toda revolução industrial na Inglaterra, começaram a surgir os punks, e é lógico que isso chegou ao Brasil em uma época mais complicada, rolava as Diretas, as industrias que estavam indo para o ABCD, as greves, a censura... tantas coisas aconteceram nos anos 80!!
     Aqui em São Paulo surgiram bandar ótimas de Punk Rock, como os Voluntários da Pátria e Mercenárias - que eu adorava. E começou o Ira. Até então sem exclamação ainda.

(esse vídeo é de 1983, vale a pena)


     Pobre Paulista foi a primeira música que despontou para o sucesso. Com uma letra agressiva e um vocal alucinado, fez com que os paulistas começassem a admirar a banda.
     Mas a gravação do primeiro LP não foi fácil. Depois de muita luta, muitos murros em ponta de faca e alguns anos de geladeira foi lançado o primeiro LP.


(aqui já com exclamação - Ira!)


"Acho que devo ter cantado pelo menos uma música.
Ou algum trecho dela. Porque, o resto, eu fiquei 
deitado, desmaiado no palco. Sangrando, todo sujo."
Pag. 48


     O maior problema de Nasi foi seu envolvimento com as drogas. Ou não. Já que seus grandes sucessos foram feitos enquanto ele estava chapado. Não só ele como a banda toda.
     Talvez se Nasi não tivesse passado pelo que passou sua história seria outra, e não estaria neste livro.
     Mas é como dizem: "Só conhecendo o inferno pra dar valou ao paraíso".
     E Nasi chegou até uns quatro andares abaixo do inferno.


"Só não tive mais relacionamentos no tempo
em que me casei com as drogas..."
Pag. 119



     A luta de Nasi é um aprendizado para todos. "Dias de Luta" mesmo! Em tudo. No sonho, na vontade de fazer as coisas acontecerem, depois a luta para se livrar das drogas, a luta contra seu irmão empresário, seu pai, a luta para encontrar seu lugar e encontrar o Marcos que ficou perdido na infância e recuperar sua saúde física e mental. E claro, a luta para ser feliz.

     A voz de Nasi fez fundo quando tive meu primeiro namoradinho. E apesar das críticas negativas sobre alguns dos seus álbuns posteriores, eu nunca encontrei defeitos em nenhum deles. Não sou nenhuma expert em música, mas a voz de Nasi sempre me emocionou e me divertiu ao mesmo tempo.
     Tenho todas as músicas dele, inclusive CDs gravados sem os outros 3 que formavam a banda.
     Me perdoem Edgar, Gaspa e André, mas o verdadeiro Irado sempre foi o Nasi.
     Nasi é como o vinho, quanto mais velho e mais apurado, melhor fica.
     Pra mim ele está no auge agora, mesmo os críticos não reconhecendo isso.


(aqui já cantando sozinho)


     Os autores Mauro Beting e Alexandre Petillo fizeram um trabalho de pesquisa excelente e a narrativa é perfeita.
     Entre as indas e vindas de presente e passado, intercalando com depoimentos do próprio Nasi e de pessoas ligadas ao grupo Ira!, a leitura é verdadeiramente deliciosa.
     Essa foi a primeira biografia que li onde seu personagem tema ainda está vivo. Posso dizer que foi a melhor que já li, já que tem o aval e a palavra do próprio homenageado.
     A diagramação é perfeita, páginas amarelas, letras em um tamanho ótimo e com linhas bem espaçadas. Ainda no centro do livro tem várias fotos de Nasi desde bebê até os tempos atuais. Fotos lindas, umas despojadas, outras fazendo pose e algumas em ação mesmo, no palco.

     Amei a leitura e recomendo para quem gosta de Rock, pra quem é de São Paulo e quer aprender mais sobre a cidade, para quem não é daqui e quer saber como era São Paulo na época.
     Na verdade eu recomendo pra quem gosta de uma boa história.

22 comentários:

  1. Minha amiga,que resenha, que resenha!!!!
    Como fã incondicional do trabalho do Ira, não vejo a hora de poder ler esse livro. Amei qdo vc pediu desculpas e disse que o verdadeiro irado sempre foi o Nasi. Pq é bem como penso, ele levou e pq não, ainda leva o Ira pra minha salinha escura quase todas as tardes. Um caro polêmico, mas de uma força de vontade incontestável. Acompanhei bem a briga com o irmão,mas nunca consegui entender de fato o que aconteceu.
    Nasi é um vinho que quero beber por longos e longos anos...numa tarde vazia ou em pedacinhos numa boneca de cêra..


    Flor, parabens pela resenha!!!!!

    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Olá Alessandra,
    eu curto muito esse tipo de musica, e não conhecia essa banda. E olha que eu sempre vasculho muito as bandas mais antigas brasileiras, gosto muito desse tipo de musica e fiquei muito curiosa para ler esse livro.
    Eu me considero uma pessoa diferente dos meus amigos, pois tenho 14 anos e admiro muito esses tipos de musica e acabo sendo criticada por muitos. Porque atualmente, as bandas mais desejadas são Restart ou até mesmo cantores internacionais.
    Parabéns pela resenha, amei!
    luanycomy.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Mais um belo trabalho do Mauro Beting!
    Bom livro pra quem quer conhecer mais sobre rock brasileiro..

    ResponderExcluir
  4. O livro parece ser muito interesssante. Gostaria muito de ler.

    ResponderExcluir
  5. Não sou muito fã de biografias, e conheço pouquíssimas músicas do Ira, contudo sua resenha ficou muito boa.

    ResponderExcluir
  6. Adoro o Nasi, sou fazoca mesmo !! Daquelas que já entrou no camarim p/ pegar autógrafo e tirar foto.
    Quero muito ler o livro. E a resenha só aumentou essa vontade :)

    ResponderExcluir
  7. Curioso pra saber como é o livro e a narrativa do Mauro Beting, que eu só conhecia através das transmissões esportivas. Gostei da resenha, ajudou pra aguçar a vontade e despertar ainda mais desejo pela leitura!

    ResponderExcluir
  8. A resenha ficou bem legal com os vídeos e tudo mais, só que o livro em si realmente não faz nada meu estilo =/

    Bjs,
    Kel
    www.itcultura.com.br

    ResponderExcluir
  9. Adoro Ira, Adoro Nasi, chateei muitíssimo qnd a banda acabou e continuo fã tanto do Ira como do Nasi em sua carreira solo. E quero muito ler.

    ResponderExcluir
  10. Lele!
    Como uma boa rebelde (assim diz minha mãe), desde criança me identifiquei com o grupo Ira e com o Nasi. Ele é uma figura contraditória, que passou por coisas complicadas na vida e até foi ludibriado pelo próprio pai e irmão...
    Curiosíssima por poder ler essa biografia, escrita por conceituados escritores,
    Parabéns pela resenha e pelos clips, amei!
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  11. Achei legal, mas não conheço nadinha disso! Devo ser um ET ¬¬
    Gostei, serviria pra conhecer então né...

    ResponderExcluir
  12. gente super elgal esse livro, nao é mt o meu tipo de leitura *-* mas acho que leria

    ResponderExcluir
  13. legal , gostei , fiquei curioso para lerrr

    ResponderExcluir
  14. Sua resenha está espetacular. Não podia ser melhor. Gostei muito. Parabéns.

    ResponderExcluir
  15. Excelente resenha!
    Adoro Ira e o Nasi e com certeza vou ler esse livro!

    ResponderExcluir
  16. A voz do Nasi é mesmo linda, e eu tbm sou fã do Ira! desde sempre. "Pobre Paulista" é a minha preferida, e acho que retrata bem a situação pelo qual passava nosso país na época, mas tbm gosto de "Entre seus rins", que é mais recente. Ainda bem que o Nasi conheceu o Edgar, pq essa parceria é mais q vencedora, e sempre nos presenteou com ótimas músicas.

    ResponderExcluir
  17. Adorei ler o post vc realmente é apaixonada por esse cantor e fiquei super curiosa em saber os detalhes dessa história de superação.

    ResponderExcluir
  18. Também estou louca por esse livro.
    Adoro as bandas e os músicos do rock nacional.
    Quase compre ele sábado, mas acabei dando prioridade para a biografia do Renato Russo.
    Espero comprá-lo logo pois estou curiosa para lê-lo!!
    Parabéns para a Editora Belas Artes pela publicação!

    ResponderExcluir
  19. Adooooro o Nasi! Ele é o pior goleiro de todos os tempos, hahahahaha. Um ícone.

    ResponderExcluir
  20. Gosto de biografias. Me fazem descobrir detalhes que desconheço de determinado artista, acho que o aproxima um pouco mais dos fãs que acabam se identificando com sua vida pessoal.

    ResponderExcluir
  21. Primeiro: adoro biografias. Segundo: ele cantou na minha entrada na adolescência. Dancei muito e curti demais o Ira. Quero ficar sabendo tudinho sobre Nasi.

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...