CURTA A SEGUNDA: Conhece Jack Kerouac??


Se não conhece, vale a pena!!





Kerouac, de origem franco-canadense, teve uma infância séria, onde era muito dedicado à mãe. Frequentou um colégio jesuíta e ajudou o pai numa fábrica de impressão. Um de seus traumas mais trágicos, que voltaria relatado nos seus romances, foi a morte do seu irmão Gerard quando ele tinha apenas nove anos.
Devido as dificuldades financeiras da família, Kerouac entrou para o time de futebol americano do colégio para tentar uma bolsa de estudos na faculdade.
Conseguiu entrar na faculdade de Columbia em Nova York, logo em seguida se mudou com sua família para lá.
Graças a um acidente que o impossibilitou de jogar por alguns meses, Kerouac se enterrou na biblioteca, conhecendo assim os autores que o inspiraram:  Louis-Ferdinand Céline, Tom Wolfe, Jack London
Seu mais importante livro, que viria a se tornar a "Biblia Hippie", fala sobre sua viagem de sete anos cruzando os Estados Unidos, com descidas frequentes ao México. Kerouac o redigiu em apenas três semanas, com uma máquina de escrever e dois rolos de papel (para não ter de parar para colocar novas folhas na máquina). Seu "estilo avalanche", sem pontuação e parágrafo, foi estimulado pelo uso de bezendrina, um tipo de anfetamina.
 
Com esse estilo de escrever, nasceu o a "geração beat", um movimento literário originado nos anos 50. Com o objetivo de se espressar livremente e contarem sua visão do mundo e sua histórias, com uma produção desenfreada, muitas vezes movido a drogas e álcool, sexo livre e jazz. Kerouac, definitivamente era o pai do "beat", mesmo ele não aceitanto esse título.
O sucesso e o prestígio conquistados após a publicação de “On the Road”, em 1957, deixaram Jack atormentado.
 
O efeito imediato da fama causou apreensão e relutância em Jack. Joyce Johnson, a jovem namorada com quem o escritor morava na época, relembra a reação dele diante da celebração instantânea: “Ele estava agitado e com medo. Ele também sentia que teria de viver para sua imagem pública, pois todos esperariam que ele fosse como Dean Moriarty ou Neal Cassady, mas ele era só Jack Kerouac. Era bastante tímido, preferia ficar num canto olhando, refletindo.”
Logo após a publicação, Jack trabalhou intensamente em outros projetos. “The Dharma Bums”, lançado em 1958, foi a tentativa do escritor de estabelecer afinidades com o Budismo. É o relato de uma escalada com o amigo poeta Gary Snyder em busca de realizações espirituais.

Frases de Jack Kerouac:

 Eu só confio nas pessoas loucas, aquelas que são loucas pra viver, loucas para falar, loucas para serem salvas, desejosas de tudo ao mesmo tempo, que nunca bocejam ou dizem uma coisa corriqueira, mas queimam, queimam, queimam, como fabulosas velas amarelas romanas explodindo como aranhas através das estrelas.

 Nossa bagagem maltratada fora empilhada na calçada novamente; nós tínhamos mais caminhos para percorrer. Mas não importa, a estrada é a vida.

A humanidade se assemelha aos cães, não aos deuses — se você não ficar zangado eles vão lhe morder – mas fique bravo e você nunca será mordido. Os cães não respeitam humildade e tristeza.
 

O livro "On The Road" virou filme. Aliás um belo filme dirigido pelo brasileiro Walter Sales.
Confira o trailer:

 


Espero que tenham gostado!!!
Semana que vem tem mais!

Um comentário

  1. Não o conhecia
    Mas gostei desse post, ajudou bastante
    E tava meio perdida sem conhece-lo, mas assim fica melhor

    Beijos
    @pocketlibro
    http://pocketlibro.blogspot.com

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...