Tô Pensando em contos... Mito Esquecido



MITO ESQUECIDO




Houve quem disse que ele era dos mais satisfeitos. Talvez, por isso, o perfeito. Pois ele tinha tudo, e com tudo se alegrava. Não que possuisse todas as coisas, mas tudo que tinha era sempre suficiente. E havia abundância de recursos, então ele não tinha medo. Ele era amado, então não lutava por amor nem precisou de vingança, pois não se ofendia. Era forte, então se defendia da inveja e de ataques. Era jovem e imortal, então não temia rejeição ou a morte; sabia de todos os mistérios, então não angustiava-se. 

            Todas as histórias precisam de um "mas". E o "mas" dele foi o início de todos os mitos: ele, que era o Mais Feliz, se fez uma pergunta. Uma pergunta fatal, simples e terrível. 

            E ele, a Plenitude, percebeu-se sem conflitos. Sem histórias para contar, um deus eterno e sem jornada, apenas gozando de uma alegria infinita e inútil. Um deus fraco, pois não tinha o que superar.

            A pergunta, ninguém viu como, o destruiu, como um espelho feito em pedaços. E esses pedaços, perigosos, cortam as almas e refletem o grande Satisfeito até o fim. Pois cada humano carrega um caco que fere e O reflete.

Pois os humanos nasceram de uma pergunta, não de uma ordem, não de um Verbo.
Os humanos carregam a maldição e a benção da Busca, a felicidade infeliz, a dúvida. Carregam a necessidade de histórias, com seus conflitos e heróis. Criaturas tão iguais seu criador, mas paradoxalmente superiores, pois o superaram ao serem o que o Primoroso não foi.  





















a Rafflecopter giveaway
















6 comentários

  1. Hoje não foi um simples conto, ao menos, não vi tudo que li acima, assim.
    Hoje foi um tapa na cara, uma pergunta entre as entrelinhas. Um jogar na cara até que ponto estamos indo, até onde somos certos em nossas escolhas e certezas.
    Será que de fato vivemos a felicidade que pregamos ou simplesmente, não questionamos mais?
    Puxa, esse foi para refletir!
    Beijo

    ResponderExcluir
  2. Oi, Allana!!
    Gostei bastante do conto achei bem reflexivo!! Parabéns!! Adoro as quartas por que sei que sempre tem uma surpresa para nos leitores.
    Bjoss

    ResponderExcluir
  3. Allana!
    A perfeição e aplenitude acabam se tornando uma maldição, afinal, nada mais impulsiona a continuar lutando e sonhando.
    Gostei demais da sua lógica no conto.
    “Como eu não tenho o dom de ler pensamentos, eu me preocupo somente em ser amigo e não saber quem é inimigo. Pois assim, eu consigo apertar a mão de quem me odeia e ajudar a quem não faria por mim o mesmo.” (Desconhecido)
    Cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DE JUNHO 3 livros, 3 ganhadores, participem.
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Parabéns Alana, pelo conto que me deixou imaginando mil coisas.
    "Criaturas tão iguais seu criador, mas paradoxalmente superiores, pois o superaram ao serem o que o Primoroso não foi."
    Esse último trecho foi tão verdade, que vou usar sempre pra determinada perguntas.

    ResponderExcluir
  5. Alana adoreeei!
    Parabéns!!
    Arrasou no conto que me faz pensar algumas coisas aqui nessa caixola...
    Bjs!

    ResponderExcluir
  6. nossa que conto reflexivo, bem elaborado e interessante, gostei de cada palavra

    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...