Resenha: Nas Entrelinhas do Horizonte


Titulo: Nas Entrelinhas do Horizonte

Autor: Humberto Gessinger

Páginas: 158

Editora: Belas Letras

Compre Aqui: BUSCAPÉ , SARAIVA, CULTURA









     Sabe qual é a resenha mais difícil de fazer? É quando você se apaixona muito pelo livro! Mas vou tentar mostrar os motivos que me fizeram amar tanto a leitura.

     Nas Entrelinhas do Horizonte é um livro de crônicas. O autor nos leva por um caminho de perguntas e respostas, momentos carregados de humor e amor. Uma vida espetacular vivida por uma pessoa linda em todos os sentidos; de coração iluminado.


"Se fosse bom ser criança, as crianças brincariam
de... ser crianças. Do que elas brincam? De ser 
mãe das bonecas, de dirigir seus carrinhos. Gostar
de ser criança é coisa de adulto."
Pag. 15


     A cada começo de capítulo, somos apresentados a poemas, versinhos, poesias, frases, algumas engraçadas, outras abstratas, mas todas de um bom gosto incrível.


"A vida é muito curta para vivermos sempre
com o mesmo corte de cabelo, ou curta demais
para experimentarmos outros cortes?"
Pag. 143


"Alegrias e tristezas: É a vida
#FATO
Sempre alegre ou sempre triste
#SEMPRE CHATO."
Pag. 77


     Um cotidiano fora do cotidiano. Uma vida normal nada normal. Tudo isso leva à um aprendizado único. E ter a grandeza de passar isso pro papel  não é para qualquer um.


"Tudo na vida tem um lado bom e outro
ruim (com exceção dos Lps do Pink Floyd,
que tinham os dois lados bons)."
Pag. 129


     Ele vai contando passagens do seu dia-a-dia, ao mesmo tempo nos conta seus pensamentos. E isso me fez rir muito, algumas vezes até bateu uma pontinha de tristeza, principalmente quando ele fala do pai. Mas na maioria, me fez enchergar o mundo e as pessoas com olhos diferentes dos meus.


"Quando me liberaram, entendi o tratamento
especialmente cuidadoso: um sobrenome alemão
num passaporte brasileiro que só tinha dois
carimbos, um japonês e outro soviético. Era
estranho, suspeito. Suspeito de que? De ser suspeito."
Pag. 39


     São trinta e seis crônicas excelentes. Porém selecionei as que me marcaram mais. Foi dificil escolher, mas são essas:

- O Dia em que Deixei de Ser Criança
- Fogo Cruzado Amigo
- Mozart Nos Deve Um Réquiem para o Ipod
- Perguntas que Sonhei Responder

     A diagramação é linda, rica em detalhes, a cada capítulo as cores se alternam, de páginas pretas com letras amarelas, e de páginas amarelas com letras pretas. O trabalho gráfico da editora já é conhecido pela criatividade e perfeição já visto em outros livros. Revisão rara de se ver, sem nenhum erro. Não encontrei nenhum defeito nesta obra que já entrou para a minha pequena lista de favoritos.


"Imagine Pelé ou Maradona dando instruções
a seus atacantes: "Pega a bola, dribla cinco e
mete no canto onde o goleiro não está. E faz
isso três vezes, tá?" Fácil, né? Não poderia dar certo."
Pag. 93


"Pelas minhas contas, estarei completamente
grisalho em um par de anos. Acho que vou gostar."
Pag. 32


     Já li  alguns livros de crônicas, também já li alguns contos. Livros diferentes desses que estamos mais "acostumados", ou os tais livros da "moda". Mas nenhum me cativou tanto. Pela capa, diagramação, fotos, narrativa, por tudo!

     Se você nunca leu esse tipo de literatura, comece por este. Se já leu, deixe-se surpreender por esta obra!

     Recomendo para todos!



VEJA OS DOIS VÍDEOS! VALE A PENA!





E então, gostou??
Bom, pra não fugir do normal, vou sortear alguns mimos pra quem comentar. Mas nao esqueça que tem que ser seguidor do blog pelo GFC. E por favor, deixe email ou twitter para eu entrar em contato.

E quem levou foi:
Parabéns Sabrina!!
Envie um email com seu endereço para aletapias@hotmail.com
Bjkas

8 comentários

  1. Sabe, esse livro do Humberto está na minha lista de desejados faz um tempinho, mas nunca, em nenhum momento tinha lido uma resenha dele.
    Nem fazia ideia que eram contos..rs ainda mais, mesclados com um kadim da vida dele, que deve ter sido e ainda é, intensa demais.
    Sempre fui fã dos Engenheiros, a ponto de ter toda a coleção de cds..rs As letras que ele escreve, sempre me deixaram de boca aberta.
    Agora, depois de tudo que li, esse livro é aquisição certa.

    Beijo

    ResponderExcluir
  2. Não gosto muito de contos, mas sou fã dos Engenheiros. Parabéns pela resenha. Quem sabe eu consiga gostar de ler este tipo de livro? Beijos.

    ResponderExcluir
  3. Adorei a resenha! Também não sabia que ele era escritor, esse conto faz perguntas e respostas que fazem sentido e deixam com mais perguntas para si mesmo. =)

    ResponderExcluir
  4. Todo mundo tem falado bem desse livro, mas a verdade é que não me interesso, sei lá, não chamou a minha atenção, mas quem sabe um dia eu não leio, não é mesmo?

    beijos
    Luana - Lendo ao Luar

    ResponderExcluir
  5. Nossa,Lele!
    Você me acertou em cheio com essa resenha. Amo crônicas, e não me canso de repetir. Mas, esse livro do Humberto é mega especial. Quero muito ter a oportunidade de lê-lo. Já li muitas resenhas lindas que você já escreveu, mas essa tá de desmanchar o coração. Bom demais!
    Bjs..
    Zilda
    Cachola Literária

    ResponderExcluir
  6. Ei Lele!
    Tudo bem?
    Então, eu estava me preparando para fazer um post sobre esse livro, e joguei no mecanismo de busca do google resenhas sobre, cai em dois links seus rs um do Skoob e outro aqui, nesta página! E adorei. Seu post me ajudou a fazer o meu, já que eu queria colocar algumas quotes do livro e eu estava sem o meu em mãos. Te linkei lá, tudo bem?
    Parabéns pela resenha, MUITO boa mesmo! Adorei!
    Beijoo

    ResponderExcluir
  7. Eu não sei nada sobre o autor ou sobre o livro. No entanto, após ler sua resenha, fiquei curiosa e agora quero ler o livro. Vou colocá-lo na lista dos desejados.

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...